O que provoca caroços e feridas vaginais e como tratar

mulher-seria-maosSobre as feridas

O que pode provocar uma ferida na vagina?
Normalmente é causada por uma infecção bacteriana ou viral: herpes vírus, foliculite, sífilis, donovanose.

Há risco de transmissão de doenças com uma ferida não tratada? Quais?
Sim. A própria ferida já pode se tratar de uma doença sexualmente transmissível ou o aumento da população bacteriana do local da ferida pode ir carreando outras infecções.

Pomadas resolvem o problema? Qual é o tratamento mais indicado?
Poucas vezes o tratamento será local. Normalmente o indicado é antibiótico oral.

A presença de feridas pode significar a presença de alguma doença (além das DSTs)?
Se for crônica e refratária, pode sugerir até um câncer vulvar. Também pode ser uma micose, uma distrofia ou uma reação alérgica.

 Algum fator 'externo' pode causar uma ferida?
Sim. Traumas, durante o ato sexual, por exemplo, também podem provocar feridas.


Sobre os caroços

A mulher percebeu um caroço na vagina. É motivo para grande preocupação?
Não. É motivo para investigação, já que não é normal.

O que pode significar o aparecimento desses caroços?
Pode ser uma linfadenomegalia, um cisto glandular, como o de Bartholin, algum tipo de tumor ou até uma verruga, dependendo do local que surja.

Pode aparecer algo além dos caroços?
Febre, dor no corpo, mal-estar, corrimento. Também pode haver dor e edema da região, dependendo do caso.

Que doenças podem provocar o aparecimento dos caroços?
Linfoma, linfogranuloma venéreo e qualquer infecção que provoque linfadenomegalia (os caroços serão na virilha), bartolinite (caroço na vulva) e verrugas vulvares que podem ser identificadas como caroços são as principais doenças.

Quais os exames realizados para descobrir as causas dos caroços?
Exame clínico, biópsia e cultura do material.

Como é feito o tratamento? Apenas com medicação?
Pode ser com antibiótico, antirretroviral, quimioterápicos e às vezes cirúrgico, dependendo da situação.

Como fazer a prevenção?
A melhor maneira de prevenir é fazer consultas e exames regulares no ginecologista. Das infecções vulvares que se apresentem com nodulações, a melhor prevenção ainda é a camisinha.

O autoexame pode ajudar a descobrir o problema? Como ele deve ser feito?
Deve ser usado um espelhinho e o dedo, mas a mulher tem que conhecer o próprio corpo e ter o hábito de se olhar e se tocar para poder perceber qualquer diferença.

Dra. Maria Luiza Campos – CRM/GO 12498 – é médica ginecologista com especialização em Climatério, Ginecologia Endócrina e Infantopuberal pela UNIFESP. Titulada pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia
Compartilhar no G+