Classificados: Ipu Notícias e Netcina estão em parceria para lançar no mercado virtual uma nova opção de compra e venda destinada a lojistas, empresários, corretores, acionistas e consumidores em geral, é a página "Classificados".
VC Repórter! Participe pelo Whatsapp: +595.986.218.721 - Envie notícias, fotos, áudios e vídeos... WhatsApp: +595.986.218.721 ou e-mail: Netcina@hotmail.com

Filme: Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel

Data: quinta-feira, 23 de maio de 2013 | Horário: 00:34

Iracema (ou Iracema, a virgem dos lábios de mel) é um romance da literatura romântica brasileira publicado em 1865 e escrito por José de Alencar, fazendo parte da trilogia indianista do autor. Os outros dois romances pertencentes à trilogia são O guarani e Ubirajara.

Sinopse do Livro:

O romance conta, de forma poética, o amor quase impossível entre um branco, Martim Soares Moreno, pela bela índia Iracema, a virgem dos lábios de mel e de cabelos mais negros que a asa da graúna e explica poeticamente as origens da terra natal do autor, o Ceará.

Personagens

Iracema: Índia da tribo dos tabajaras, filha de Araquém, velho pajé; era uma espécie de vestal (no sentido de ter a sua virgindade consagrada à divindade) por guardar o segredo de Jurema (bebida mágica utilizada nos rituais religiosos); anagrama de América."A virgem dos lábios de mel.

Martim: Guerreiro branco, amigo dos pitiguaras, habitantes do litoral, adversários dos tabajaras; os pitiguaras lhe deram o nome de Coatiabo.

Moacir: Filho de Iracema e Martim, o primeiro brasileiro miscigenado.

Poti: Herói dos pitiguaras, amigo (que se considerava irmão) de Martim.

Irapuã: Chefe dos guerreiros tabajaras; apaixonado por Iracema.

Caubi: Índio tabajara, irmão de Iracema.

Jacaúna: Chefe dos guerreiros pitiguaras, irmão de Poti.

Araquém: Pajé da tribo Tabajara. Pai de Iracema e Caubi.

Batuirité: o avô de Poti, o qual denomina Martim Gavião Branco, fazendo, antes de morrer, a profecia da destruição de seu povo pelos brancos. 

É o Nordeste das praias e das serras (Ibiapaba), dos rios (Parnaíba e Jaguaribe) e da Bica do Ipu ou Bica da Iracema


A relação do casal serviria de alegoria para a formação da nação brasileira. A índia Iracema representaria a natureza virgem e a inocência, enquanto o colonizador Martim (referência explicita ao deus romano da guerra Marte) representa a cultura europeia. Da junção dos dois surgirá a nação brasileira, representada alegoricamente, pelo filho do casal, Moacir ("filho da dor"). 

A palavra Iracema é um anagrama de América. Para alguns críticos, esse anagrama é proposital, e o livro trata-se pois de uma metáfora sobre a colonização americana pelos europeus. O desenvolvimento da história e, principalmente, o final, remetem fortemente à história local. 

Em 1979 é lançado o filme Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel dirigido pelo cineasta Carlos Coimbra. 

Sinopse do Filme:

Guardiã do segredo do licor da Jurema, Iracema é filha do pagé da tribo Tabajara. Virgem, seu corpo pertence a Tupã, poderosa divindade indígena, e, caso se entregue a alguém, será castigada com a morte. Mas a chegada do guerreiro Martim, em missão de reconhecimento, desperta o amor de Iracema. Irapuã, cacique dos Tabajaras, apaixonado por Iracema, não contém o ciúme e decide eliminar o estrangeiro. Mas o amor entre Martim e Iracema é mais forte que a intolerância e as leis de Tabajara, e o casal, para defender a união, decide fugir. 


Siga-me no Twitter: @Netcina

.