Aécio Neves e Marina Silva: a volta dos que não foram

A nossa mídia é engraçada. Ela faz tudo ao contrário.

Quando houve o golpe, em 64, disse que era a democracia ressurgindo.

Fez de tudo para postergar o direito dos cidadãos ao voto, e hoje posa de paladina da democracia.

Chancelou, defendeu, por décadas, o regime mais corrupto da nossa história, a ditadura; consolidou-se financeiramente nesta época, através da corrupção, sonegação, monopólio e truculência, e hoje quer posar de guerreira da ética.

Pinta o debate sobre a democracia na mídia como “censura”.

Quando a democracia em nossos países vizinhos começa a se consolidar, os pobres começam a ter dignidade, e as instituições passam a funcionar movidas por ideais republicanos e democráticos, ao invés de somente pelo dinheiro, a mídia inventa que há um “bolivarianismo” diabólico tentando arruinar a democracia em nosso continente.

Ela consegue inverter tudo.

A campanha de Aécio foi a mais suja da história, não somente por causa dele, mas sobretudo em virtude do mau caratismo da mídia.

A campanha de Dilma, por sua vez, foi uma das mais orgânicas da nossa história democrática, com um grande engajamento de movimentos sociais e cidadãos.

O que diz a mídia? Que a campanha da Dilma é que foi suja, baseada em “mentiras”.

Não diz, porém, que mentiras foram essas.

O aeroporto de Claudio é mentira?

Era mentira que Marina morou (ainda mora?), durante a campanha, no apartamento de um fazendeiro do DEM, dono de postos de gasolina, condenado pela justiça?

E agora a mesma mídia tenta pintar os derrotados como vencedores.

Ex-presidentes nunca tiveram poder, em lugar algum do mundo.

No Brasil, a mídia quer empoderar até ex-candidatos.

Todas as denúncias envolvendo o PT são investigadas pela mídia 24 horas por dia. O jornal O Globo fez até um chapéu eterno para qualquer matéria envolvendo corrupção: “Escândalos em série”. Claro, escândalos que só afetam o PT.

Escândalo tucano nunca vem em “série”.

Já as denúncias envolvendo Aécio Neves e Marina Silva são abafadas para sempre.

Cadê o jatinho fantasma?

Estou falando isto porque hoje me deparo, no Ancelmo Goes, com uma notinha curiosa:



Legal que a nossa imprensa se interesse tanto pela opinião de Marina Silva, que apoiou Aécio no segundo turno e saiu duplamente derrotada. Perdeu perdendo.

É legal por que nos permite imaginar melhor como seria um eventual governo Marina.

Seria integralmente terceirizado para a mídia.

Somente os queridinhos da mídia seriam mantidos no governo.

O resto, rua.

Fonte: Tijolaço

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+