Mensalão Tucano: há quase 10 anos, ação espera acusados completarem 70 anos para prescrição

Quando o assunto é corrupção e que envolve os partidos PT e PSDB, a justiça brasileira e os politizados pelo facebook usam dois pesos e duas medidas, pois todos só miram no PT, mas sobre o PSDB, eles fecham os olhos.

O julgamento das acusações de caixa 2 na campanha do então governador do Estado, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), em 1998, segue parado na Justiça de Minas, desde que foi devolvido pelo Supremo Tribunal Federal à primeira instância. A ação do Mensalão Tucano também não tem mais juiz, já que o titular designado se aposentou.

Tramitam ainda na 9ª Vara mais dois processos ligados ao mensalão mineiro. Um deles tem como réu o ex-senador Clésio Andrade (PMDB). Azeredo renunciou ao mandato de deputado e Clésio ao de senador, e assim perderam o direito de serem julgados pelo Supremo. Por isso, o STF devolveu o caso para a primeira instância, onde é mais fácil segurar os processos.

A demora aumenta risco de impunidade de crimes associados à fracassada campanha de Azeredo em 1998. Nada foi feito para concluir o caso, que se arrasta há quase uma década, desde que começou a ser investigado.

O outro processo tem oito réus e ainda está na fase de instrução. Falta ouvir testemunhas, além de todos os réus. Dois deles, Cláudio Mourão, tesoureiro da campanha de Azeredo, e o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia, já completaram 70 anos, beneficiando-se da prescrição.

A demora no julgamento pode beneficiar outros réus, inclusive Azeredo, que completará 70 anos em setembro de 2018. Se ele for julgado antes disso, ainda assim poderá se beneficiar da prescrição, caso seja condenado.

De acordo com denúncia do Ministério Público Federal, o mensalão tucano envolveu desvios de milhões de empresas públicas de Minas Gerais, usados na campanha eleitoral.

O esquema começou a ser investigado em 2005, em meio ao escândalo do Mensalão do PT, que já foi julgado, os envolvidos condenados e presos, e se encontra em fase de progressão de pena dos acusados. A Procuradoria apresentou denúncia à Justiça em 2007.

Dois pesos e duas medidas para se avaliar a corrupção no Brasil

Para o PSDB, o Mensalão Tucano ou o valerioduto de Minas, como ficou conhecido e que envolveu o mesmo Marcos Valério que também fez parte do Mensalão do PT, se resumiu a caixa 2.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+