Dilma abre com Jô rodada de diálogos com a mídia

A presidente Dilma Rousseff terá um bate-papo informal com o apresentador da Globo Jô Soares nesta segunda-feira 18 no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, em Brasília. O encontro faz parte de um novo modelo de aproximação do Planalto com a mídia, informa a coluna Painel.

Durante a visita de Jô à presidente, não será gravada entrevista, nem o encontro será exibido pela emissora. De acordo com seus assessores, Dilma pretende ter ainda novas conversas fora das câmeras, as chamadas "off the records", com outras personalidades da mídia.

Jô Sores tem sido uma voz dissonante na Globo, que pratica uma linha editorial bastante crítica ao governo. O apresentador, que já entrevistou Dilma em 2008, ainda como ministra da Casa Civil, tem feito discursos em defesa da petista.

No final do ano passado, ele criticou comentários de jornalistas de política, em seu quadro "as meninas do Jô", sobre um risco de bolivarianismo no Brasil, episódio em que ele usou o termo "paranoia bolivariana". O Gordo também atacou o "surto de impeachment", tentativa da oposição que, para ele, seria "golpe".

Há um mês, ele voltou a defender a presidente ao rebater declarações da jornalista Ana Maria Tahan. "Agora eu tenho muito medo dessa vitimização da presidente da República. Eu acho isso meio inconcebível", disse. "Em qual sentido?", perguntou Ana Maria. "No sentido de que estão fazendo dela uma vítima de uma eleição que foi absolutamente legítima", respondeu.

Esse mês, atacou novamente o golpismo tucano. "Como é que o político que foi secretário do Tancredo, neto do Tancredo, secretário quando tinha vinte anos, não aprendeu ainda nada sobre política? Parece uma coisa de república de patetas. O Fernando Henrique não tinha nem que se pronunciar, nem ninguém, porque é um absurdo tão grande. Foram procurar juristas!", comentou, em referência ao senador Aécio Neves (PSDB-MG).

"Foi um candidato que teve uma quantidade de votos expressiva e sai falando uma bobagem dessa. O que ele pensa? Que tira a Dilma e vão botar ele? É isso que ele achava?", prosseguiu o apresentador.

As críticas, no entanto, levaram Jô Soares a virar sessão coruja na Globo – houve o anúncio de que seu programa seria transferido para as 2h20 da madrugada. Na renovação de 2015, o programa perdeu a plateia, passou a ser gravado num estúdio menor e precisou demitir dois integrantes da banda. "Fomos atingidos pela crise", disse o Gordo na reestreia.

Fonte: Brasil 247

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+