Ipu (CE): Sérgio Rufino poderá ser o primeiro e último prefeito reeleito no município

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (27), o fim da reeleição para cargos executivos. O artigo da reforma política (PEC 182/07) foi aprovado com o apoio majoritário das bancadas: 452 votos a favor e apenas 19 contra.

Se o fim da reeleição for confirmado, será o um fim de uma história curta de apenas 18 anos. A medida foi aprovada pelo Congresso em 1997, nas vésperas do final do primeiro mandato do então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso - que acabou sendo reeleito no ano seguinte, mesmo com tantas denuncias de compra de votos dos deputados que na época teriam recebido R$ 200 mil reais para votar na reeleição de FHC.

Na época, a medida foi aprovada apesar da forte oposição do PT. Desta vez, todos os partidos - incluindo PT e PSDB - votaram pelo fim da reeleição.

O que é Reeleição? Oportunidade de uma nova eleição para quem pretende ocupar novamente o mesmo cargo, exercendo um novo mandato consecutivo. Foi eleito e se reelegeu na eleição seguinte.

Entenda o que pode mudar caso a medida entre em vigor:

Quais cargos são afetados? Prefeitos, Governadores e Presidente.

Começa a valer a partir de quando? Sendo aprovada nas próximas etapas (e deverá ser), a medida valerá para os prefeitos eleitos em 2016. Presidente e governadores que ganharem as próximas eleições, isto é, em 2018, também não poderão ser reeleitos.

Isto significa que prefeitos e governadores que foram eleitos em 2012 e em 2014 para o primeiro mandato poderão tentar a reeleição na próxima eleição, mas depois deles, nenhum outro poderá se candidatar a reeleição.

Outro detalhe importante, que ainda falta ser decidido, é o tempo de mandato das eleições de 2016, pois existe a grande possibilidade de que seja de apenas 2 anos, pois a intenção é a de querer igualar os mandatos em 2018, ou seja, ter eleições para presidente, governadores, senadores, deputados, prefeitos e vereadores, tudo no mesmo ano.

Como isso poderá mexer na política ipuense?

O prefeito Sérgio Rufino (PCdoB) deverá ser candidato a reeleição, mas a sua intensão era a de ficar mais 4 anos. Se o mandato cair para 2 anos, ele não terá alternativa e será obrigado a ficar com um possível segundo mandato de apenas 2 anos.

Mas aí é que vem a questão.

Vamos pegar como exemplo, para algumas indagações, o ex-candidato em 2012 e atual pré-candidato da oposição para 2016, o jovem Diego Carlos.

- Será que interessa à Diego Carlos disputar uma eleição onde só poderá ter 2 anos de mandato e depois não poder ser reeleito? Não seria melhor esperar para 2018 e tentar um mandato de 4 anos?

- Vale apenas gastar tanto para enfrentar Sérgio Rufino, que está fazendo uma ótima administração, para ficar apenas 2 anos na prefeitura e ter que sair para o próximo prefeito que terá 4 anos?

Pensando bem, uma candidatura de Diego Carlos nestas condições não seria vantajosa para ele, pois 2 anos não dar tempo nem esquentar a cadeira para o próximo. Diego sofria com a falta de experiência e não teria tempo de aprender como se administra uma cidade e mostrar serviço.

Sérgio Rufino está com grandes projetos em andamento e permanecer no cargo por mais 2 anos é de suma importância para o município, pois suas obras serão todas concluídas e os projetos não serão interrompidos. O povo está confiante, pois o prefeito tem concluído suas obras e feito seus projetos andarem e se algo está em atrasado são por questões do Governo do Estado, como é o caso da Praça do CVT que teve problema com a licitação em época de eleição e mudança de secretariado estadual.

Aqui é que existe uma grande dúvida para a oposição.

Com a continuação de Sérgio Rufino, por mais 2 anos, ele terá todas as chances de terminar suas obras e realizar outras mais. Em 2018, o grupo do prefeito estará mais fortalecido e ele não terá dificuldades e eleger um sucessor. Já para a oposição, 2 anos seria pouco tempo para mostrar serviço e o prefeito eleito em 2016 não poderá ser reeleito e com pouco tempo para mostrar serviço, ele enfrentará grandes dificuldades para eleger um sucessor.

Se tudo for bem analisado, os próximos 2 anos interessam ao prefeito Sérgio Rufino, ao Grupo Liberdade e ao município. Já para a oposição, não seria nada interessante apenas 2 anos.

Os próximos 2 anos poderá ser uma releição bem mais fácil para Sérgio Rufino que terá a oportunidade de ser o primeiro e último prefeito reeleito da história política do município de Ipu.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+