Andressa Urach lança campanha para ajudar no funera do Ken humano

A modelo Andressa Urach lançou uma campanha em uma rede social para ajudar a família nas despesas com o velório de Celso Santebañes, o Ken humano, que morreu na quinta-feira (4), aos 20 anos "em decorrência de agravamento do quadro clinico pela pneumonia na fase de imunossupressão da quimioterapia", segundo o boletim médico.

De acordo com a foto que a modelo publicou, ela afirma que já doou e pede ajuda aos seguidores. 

A tia do modelo, Marília Pereira Borges, afirmou ao G1 que as despesas foram altas e que a família não tem condições financeiras.

Santebañes estava internado no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) desde o dia 26 de maio para sessões de quimioterapia. 


Contudo, o estado de saúde piorou na última quarta-feira (3), depois de uma pneumonia bacteriana. Ele foi velado e enterrado em Araxá.

“A gente fez o orçamento e vai ficar mais ou menos R$ 7 mil. As coisas andam muito difíceis. 



O Celso queria lançar o boneco dele e trabalhar para ajudar a família, mas infelizmente não foi permitido. Ele queria fazer isso porque a família dele era humilde”, disse a tia.

Marília também agradeceu aqueles que já doaram e disse que pretende lançar o boneco do modelo para realizar o sonho do sobrinho. “Com certeza, vai nos ajudar. 


A gente agradece muito quem fez e quem fizer as doações. Se não fosse essa doença, ele ia fazer muito sucesso. Ele ia ser um guerreiro, ele seria um vitorioso. A gente não fazia ideia do quanto ele era querido”, disse.

O G1 entrou em contato por e-mail com assessoria da modelo Andressa Urach, porém até o fechamento desta matéria não tinha obtido retorno.

Sonho interrompido


Para o pai, Célio Antônio Borges, o rapaz teve o sonho interrompido. "Quando ele estava começando a conseguir realizar o sonho, descobriu a doença e foi interrompido. 


Ele fez um plano, Deus fez outro. Agora, contamos com a ajuda dos amigos, que estão dando força para a gente neste momento difícil”, disse.

Apesar da luta contra a doença, Luiz conta que a família sempre acreditou na cura do modelo e que a esperança aumentou após o modelo ter superado quase dois meses em coma. “Nós nunca esperávamos que ele fosse morrer. 


A gente achava que ele ia vencer mais essa. Dessa vez, foi mais forte”, contou.

Muito apegado aos avós, Celso é velado na casa da família em Araxá. Segundo o pastor Luiz, amigo da família, esta era a vontade do avô dele, José Pereira Borges, que também velou o outro neto, irmão de Celso, que morreu há cerca de quatro anos, na mesma casa.

Fonte: G1

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+