Conheça o ‘Thync’, dispositivo capaz de alterar o seu humor ao ser utilizado

'Thync' é um novo dispositivo de vestimenta, que faz uso de eletroencefalografia para medir a atividade elétrica do cérebro, modificando a atividade dos neurônios.

Simplificando, ele tem a capacidade de mudar o estado de espírito das pessoas.

Basta conectar o dispositivo na testa para que ele mude instantaneamente o humor de seu usuário. 


Um aplicativo para iPhone correspondente permite que se escolha o tipo de humor que a pessoa quer experimentar, e até mesmo ajustar a intensidade. É possível optar por um estado feliz, relaxado, focalizado, ou energizado.

O dispositivo baseia-se na neurossinalização, um processo em que ondas de ultrassom são utilizadas para se comunicar com as ligações dos neurônios cerebrais, alterando o humor da pessoa. 


O dispositivo envia sinais elétricos ou ondas de ultrassom para as áreas específicas do cérebro que são centros de energia, concentração e relaxamento. O Thync faz efeito entre 30 minutos e uma hora, podendo durar várias horas, dependendo da intensidade da estimulação.

A empresa que desenvolveu Thync foi fundada por especialistas em engenharia e neurociência de Stanford, MIT e Harvard. Eles gastaram 15 milhões de dólares (cerca de 46 milhões de reais) para pesquisa e desenvolvimento, com o único objetivo de chegar em um dispositivo que modificasse a atividade no cérebro. O primeiro dispositivo Thync foi lançado oficialmente na terça-feira passada, recebendo boas críticas.

David Harris, editor do jornal norte-americano Boston Business Journal, que teve a oportunidade de experimentar Thync antes mesmo dele chegar ao mercado, selecionou o modo "descanso" no app.


"Disseram-me que eu iria sentir uma sensação de coceira e até mesmo um pouco de dor no início", escreveu ele. "Eu senti a coceira, como uma pressão em minha cabeça, e, em seguida, algum tipo de efeito acontecendo entre os meus nervos e o dispositivo". 


Embora Harris tenha admitido que o dispositivo o fez se sentir um pouco cansado, ele também não havia dormido muito bem na noite anterior, deixando-o sem certeza de que o fato tenha sido foi realmente induzido pelo Thync.

Jamie Tyler, cofundador e diretor científico da empresa, disse a Harris que o dispositivo foi testado em 3.700 pessoas, tanto no laboratório quanto no mundo real. "Nós pensamos nisso como uma nova categoria de dispositivo que atua em sinergia com o corpo”, disse.

Desde 2011, a empresa tem levantado milhões de dólares de investidores, e espera assumir uma parte considerável do mercado chamado de “tecnologias vestíveis”.

Fonte: Jornal Ciência

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+