Fábrica cearense ganha destaque nacional com produção de pijamas artesanais

Há 30 anos, Maria Cecília Targino decidiu criar pijamas para as filhas. De forma artesanal, a mãe se divertia fazendo desenhos para as roupas de dormir de Maria Stella e Maria Inês. 

Como as filhas costumavam dormir na casa de amigas, Cecília passou a personalizar os pijamas com os nomes das meninas.

O que ela não esperava era que o simples ato de cuidado com Stella e Inês renderia uma grande empresa. Em 2015, a Take a Nap foi finalista no Prêmio Nacional de Inovação, concorrendo com indústrias maiores como a Natura.

Quando as filhas ainda eram crianças e passaram a frequentar a casa das amigas com as roupas de dormir, as mães de outras meninas começaram a se interessar pelos pijamas e a pedir por encomenda novas peças produzidas por Maria Cecília. 


Com divulgação “boca a boca”, a ação foi crescendo e tomando forma de negócio. Com visão empreendedora, a mãe viu que havia um nicho de mercado que possibilitaria que sua produção, a princípio, simples, se tornasse grande.

Junto com a empresa, Stella e Inês também cresceram e, hoje, administram o negócio da mãe. A produção, que antes era artesanal, passou a ser industrializada. 


A fábrica ganhou mais funcionários e, além dos pijamas, passou a produzir pijamas adultos, acessórios, redes, roupas de cama e toalhas. As roupas da Take a Nap deixaram de ser desenhadas por Maria Cecília, mas segundo o gerente geral do local Falder Diogo, tudo passa pelo aval da dona. Cada tipo de roupa recebe o nome de uma pessoa.

Em 2009, a Take a Nap começou a tomar forma de indústria. Através de uma consultoria, a empresa implantou uma nova metodologia e passou a ter uma nova gestão financeira, comercial, setor de recursos humanos e de inovação. Com a expansão, em 2010, ganharam o prêmio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) pelo novo modelo de gestão.

Em maio deste ano, a empresa de pijamas personalizados participou do Prêmio Nacional de Inovação (PNI), realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Sebrae, com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Movimento Brasil Competitivo (MBC) e do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O objetivo do PNI é reconhecer as empresas brasileiras que contribuíram para o aumento da competitividade do país por meio de utilização de sistemas e técnicas voltadas para o aprimoramento da gestão da inovação e a implantação de projetos inovadores.

A Take a Nap concorreu na categoria “Gestão da Inovação” para empresas de médio porte. Apesar de não ter vencido, a empresa recebeu o reconhecimento por “adotar práticas robustas e de vanguarda”, conforme explica Falder. Concorrendo com a Natura, a fábrica de pijamas foi a única indústria a representar o Ceará na competição.

Fonte: Tribuna do Ceará

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+