Ipu (CE): Município aparece em Nova Lista de Estado de Emergência do Governo Federal

O Diário Oficial da União desta última sexta-feira (5) publicou a lista de 28 municípios do Ceará afetados pela seca, segundo o reconhecimento divulgado pelo Ministério da Integração Nacional. O município de Ipu ficou de fora da lista divulgada com os nomes do 28 municípios cearenses, segundo publicação do Diário do Nordeste (Veja Aqui).

O Prefeito Sérgio Rufino (PCdoB) do município de Ipu, desde o do mês de maio vem colocando em prática ações de combate à seca, já em forma de precaução. Para esse mês de junho, um comitê deverá ser formada especialmente para criar estudos, analisar e encontrar soluções para o problema.

Segundo informações O Povo On Line, a Lista de Estado de Emergência aumentou e o município de Ipu foi incluído.

No Ceará, 95 municípios estão em estado de emergência já reconhecido por decreto federal, e outros 41 têm decretos municipais que serão submetidos à análise da União na próxima segunda-feira, 8. Esse número deverá crescer nos próximos meses e alcançar o total de decretos do ano passado, de 176. As regiões do Sertão Central, Sertão de Crateús e Bacia do Curu têm os piores níveis de reserva hídrica e deverão receber, pelos menos, mais três adutoras de montagem rápida este ano.

Com o reconhecimento oficial do Ministério da Integração Nacional (MI), os municípios apresentam planos de trabalho para restabelecer a situação de normalidade. “O Governo Federal é obrigado a fazer o envio de recursos, de acordo com seu orçamento”, explicou o capitão do Corpo de Bombeiros do Ceará, Aluizio Freitas. Carros-pipa, perfuração de poços e construção de adutoras são as principais ações a serem executadas.

Pessoas afetadas pela dificuldade de acesso a água potável e por registros de doenças agravadas pela contaminação do líquido consumido são alguns dos critérios para definição da situação de emergência. De acordo com Aluizio, a ajuda financeira chega em, no máximo, 20 dias. “O valor vai para o Estado e ele define o repasse aos municípios”, explicou. O capitão acrescentou que quando o decreto é reconhecido pelo Estado a análise da União é mais rápida. “Vamos fechar esse levantamento e enviar para o MI na segunda. No caso de qualquer desastre, compete ao Município fazer o decreto. Se atinge muitas cidades, também é competência do Estado”, detalhou.

Sem chuvas em maio

O técnico de Desenvolvimento Rural da Associação dos Municípios do Ceará (Aprece), Nicolas Fabre, explicou que muitas prefeituras não renovaram os decretos já existentes (válidos por 180 dias) porque aguardavam as chuvas do mês de maio. Que não vieram como o esperado. “Em alguns locais, a quadra chuvosa foi suficiente para a produção agrícola, mas não foi para recuperação dos açudes. Muitos prefeitos não fizeram a documentação achando que não precisaria”, disse.

De acordo com Nicolas, as chuvas pararam em maio de forma abrupta, por isso apenas 67 municípios haviam decretado estado de emergência no início do ano. “Com certeza vai atingir o Estado quase todo, como em 2014. Tirando as zonas urbanas não atingidas, como Fortaleza e Eusébio, por exemplo, e na Serra da Ibiapaba, o restante do Ceará está sofrendo com a seca”, avaliou.

Conforme a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), há indicativos de 80% de El Nino em 2016, fenômeno que prejudica a quadra chuvosa.

Saiba mais

Existem dois tipos de decretos em caso de desastres naturais: de situação de emergência e de calamidade pública.

São analisados os danos humanos, ambientais e materiais.

No caso da seca, não precisa ser registrado dano material para reconhecimento do decreto.

No caso do dano humano, se atingir menos de 100 pessoas é emergência. São analisados os prejuízos privados e públicos.

Nos públicos, o dano precisa atingir 8,33% da receita líquida anual. No caso de calamidade pública, precisaria atingir 24%.

Com o decreto, além das ações, há possibilidade de execução de obras sem licitação.

Emergência

Decreto em 5/6:  28 municípios

Apuiarés, Ararendá, Banabuiú, Boa Viagem, Cascavel, Catunda, Caucaia, Choró, Forquilha, Groaíras, Ibicuitinga, Iguatu, Irauçuba, Jaguaretama, Jaguaruana, Jijoca de Jericoacoara, Lavras da Mangabeira, Morrinhos, Novo Oriente, Parambu, Pereiro, Potiretama, São Gonçalo do Amarante, São João do Jaguaribe, Sobral, Solonópole, Tejuçuoca e Umirim.

Decreto em 28/5: 67 municípios

Aiuaba, Amontada, Aquiraz, Aracati, Aratuba, Arneiroz, Assaré, Aurora, Baixio, Barro, Beberibe, Brejo Santo, Capistrano, Caridade, Caririaçu, Cariús, Catarina, Chaval, Crateús, Deputado Irapuan Pinheiro, Farias Brito, General Sampaio, Granja, Ibaretama, Ibiapina, Ipaporanga, Ipaumirim, Ipu, Ipueiras, Iracema, Itatira, Jaguaribe, Limoeiro do Norte, Mauriti, Milhã, Miraíma, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Mulungu, Nova Olinda, Orós, Pacajus, Pacatuba, Palmácia, Pedra Branca, Penaforte, Pentecoste, Piquet Carneiro, Porteiras, Quiterianópolis, Quixadá, Quixelô, Quixeramobim, Quixeré, Redenção, Saboeiro, Santa Quitéria, Santana do Cariri, São Luís do Curu, Tabuleiro do Norte, Tamboril, Tauá, Ubajara, Umari, Uruoca, Várzea Alegre e Viçosa do Ceará.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+