Ministra Rosa Weber dá 48H para Cunha explicar votação ilegal

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), enquadrou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e lhe deu apenas 48 horas para que o mesmo explique a votação ilegal, como foi mencionada pelo ministro Marco Aurélio Mello. (Veja Aqui).

PEC do financiamento de campanhas favoreceu as doações empresariais de campanha.

Rosa Weber é relatora do mandado de segurança protocolado por 64 deputados contra a manobra de Eduardo Cunha. Os deputados pedem a anulação da votação. O artigo 60 da Constituição impede a reapresentação de uma emenda constitucional na mesma sessão legislativa.

Derrotado na 1ª tentativa de aprovar as doações empresariais de campanha, Cunha manobrou de forma ilegal e reapresentou a proposta para uma segunda decisão dos parlamentares e conseguiu inverter o resultado: 66 deputados mudaram de lado e o projeto foi aprovado por 330 a 141.

O mandado de segurança foi protocolado no sábado 30 de maio. No dia seguinte, Cunha se mostrou irritado com a iniciativa. "A Câmara não vai ficar refém dos que não querem que nada que os contrariem seja votado, ameaçando ir à Justiça toda vez que perdem no voto", ameaçou o presidente da Câmara.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+