Mulher esquarteja amante que recusou separação e fica com corpo por três dias em casa

Uma mulher se entregou à polícia depois de matar e esquartejar o corpo do amante na cidade de Bezerros, no agreste de Pernambuco, porque ele se recusava a se separar para ficar com ela. A suspeita ficou três dias com o corpo dentro de casa, informou a polícia.

José Bezerra de Lima Júnior faria aniversário no dia 28 e planejava passar a data ao lado da filha de um ano. Porém, na última quarta-feira (27), ele acabou sendo assassinado na casa de Maria Cristina Lourenço Torres, de 38 anos.

Segundo a polícia, o casal mantinha um caso havia seis anos. Na época, os dois eram casados. Maria se separou do marido e exigia que Júnior fizesse o mesmo. Maria é prima da mulher do amante.

A família do empresário começou a procurá-lo e, sem saber que Maria e Júnior mantinham um relacionamento extraconjugal, procurou Maria para saber se ela tinha informações que pudessem ajudar no caso.

De acordo com a família, Maria se mostrou bastante nervosa e chorava muito. Ela dizia que estava à base de remédios e pedia que fosse atualizada sobre qualquer informação referente ao empresário. Ninguém da família desconfiava de Maria até ela ser presa.

De acordo com a Polícia Civil, Maria matou Júnior a tiros na casa dela. Em seguida, ela esquartejou o corpo e o manteve em sua casa por três dias. A mulher usava água e sal grosso para disfarçar o mau cheiro.

Como não conseguiu se livrar do corpo, como havia planejado, Maria decidiu se entregar à polícia. Os restos mortais do empresário foram encontrados em sacos plásticos no quintal do imóvel.

A mulher do empresário deseja que a justiça seja feita. — [Estou] sem palavras porque é um sentimento de perda. Eu perdi minha vida. Foram dez anos de convivência e felicidade.

Em depoimento, Maria contou que Júnior foi à casa dela para pegar um revólver dele que estava guardado lá. Ele ainda teria pedido R$ 500. Maria afirmou que foi ameaçada com uma faca porque não tinha o dinheiro pedido, por isso atirou no homem.

A versão apresentada não convenceu o delegado responsável pelo caso. A polícia acredita que o crime foi premeditado porque uma lista com materiais usados no assassinato foi encontrada na casa da suspeita.

Fonte: R7

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+