Roberto Costa enfraquece ação do PSDB contra Dilma

Em depoimento à Justiça Eleitoral em processo movido pelo PSDB, o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, descartou novamente doações ilícitas para a campanha de Dilma Rousseff em 2014.

Na ação aberta no dia 18 de dezembro, dia da diplomação de Dilma, tucanos pediam a cassação da presidente por "abuso de poder político na campanha", "irregularidades no financiamento e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo".

Costa reiterou as informações dadas em sua delação premiada na Operação Lava Jato, sobre supostos repasses de R$ 2 milhões à campanha de 2010. O valor teria saído da cota do PP no esquema de desvio de verbas em contratos da Petrobras, a mando do doleiro Alberto Youssef, que nega a informação.

As denúncias sobre a campanha de 2010, no entanto, não são objeto da análise dessa ação no TSE. Sobre 2014, Costa disse não ter conhecimento de pagamentos ilícitos ao PT, uma vez que deixou a Petrobras em 2012.

Fonte: Brasil 247

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+