Cientistas descobriram que ancestral de velociraptor era um 'dragão com asas'

Cientistas descobriram o fóssil de um dinossauro alado - um ancestral do velociraptor - que eles acreditam que estivesse prestes a se tornar um pássaro. 

O animal de dois metros de comprimento estava quase totalmente preservado em rocha sedimentar, graças a uma erupção vulcânica que o soterrou no nordeste da China.

O fóssil de 125 milhões de anos indica que muitos outros dinossauros, inclusive os velociraptors, se pareceriam com "grandes aves assassinas".

Mas é improvável que eles pudessem voar.

Dragão de Zhenyuan

O dinossauro recebeu o nome de Zhenyuanlong, que significa "Dragão de Zhenyuan" - em homenagem ao homem que cedeu o fóssil para o museu da cidade de Jinzhou, permitindo que ele fosse estudado.

O estudo sobre a descoberta, feito pela Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, e a Academia Chinesa de Ciências Geológicas, foi publicado no períodico científico Scientific Reports.

"É o fóssil mais bonito no qual já tive o privilégio de trabalhar", afirma o cientista Steve Brusatte, que liderou a pesquisa.

"Ele tem braços curtos e é coberto por penas, com asas cobertas por camadas de penas. Apesar de ser um dinossauro e um parente próximo do velociraptor, ele se parece exatamente com um peru ou um abutre."

John Nudds, palestrante sênior de paleontologia da Universidade de Manchester, no Reino Unido, disse à BBC News que a descoberta é parte de uma "conjunto cada vez mais complexo" de novas evidências "de que certamente muitos (dinossauros) e possivelmente até mesmo todos eles tinham penas ou, ao menos, pelos aveludados".

'Pássaros do inferno'


Para Brusatte, isso "deixará as pessoas desnorteadas ao perceberem que os dinossauros de filmes seriam ainda mais estranhos e amedrontadores - como pássaros do inferno."

O cientista diz que o grande corpo deste dinossauro faz com que seja improvável que ele fosse capaz de voar.

"Então, talvez (as asas) não tenham evoluído para o voo - talvez tenham evoluído como uma forma de estrutura de proteção dos ovos no ninho", afirma Brusatte.

"Ou talvez este animal estivesse começando a circular pelas árvores e fosse capaz de planar."

Brusatte considera que a China é o "epicentro da paleontologia neste momento".

"Há (museus com) salas repletas de novos fósseis de dinossauros que nunca foram estudados. Este talvez seja o momento mais excitante da história da paleontologia."

Fonte: Uol

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+