Com doença genética, jovem de 23 anos come até morrer

Portadora de uma doença genética, a Síndrome de Prader-Willi, a inglesa Kirsty Derry, de 23 anos, comeu até morrer. Um dos sintomas da doença é a constante sensação de fome e interesse em comida, que pode levar ao excesso de peso. No caso da jovem, o Índice de Massa Corpórea (IMC) dela era de 42,1, o que é considerado um caso de obesidade mórbida. No caso de um adulto saudável, o ideal é que o índice esteja entre 19 e 25.

Por causa do seu problema de saúde, a moça vivia numa espécie de casa de repouso, onde era monitorada. O apartamento dela tinha alarmes instalados nos armários e geladeiras, com o objetivo de impedir que ela comesse o tempo todo.

A mãe de Kirsty, Julia Fallows, conta que a moça não tinha noção do quanto comia. "Eu me tornei ciente de que ela não tinha noção do tamanho das refeições, mas pensava que seus pratos eram regulados (pela equipe do local). Mas, em 2013, as alterações no peso eram óbvias. Suas pernas estavam inchadas, ela mal conseguia andar ou comprar sapatos", disse Julia para o Mirror.

A família pensou em tirar a jovem do local, mas ela morreu antes. Kirsty se recusava a ir para um hospital e achava que estava bem. "Ela foi considerada mentalmente capaz de fazer suas próprias escolhas, mas como pode isso se ela poderia comer até a morte?", questiona a mãe.

O excesso de preocupação com sua saúde a incomodava. Em uma postagem no Facebook, Kisrty escreveu: "Minha vida é tão miserável. Estou farta de tantas pessoas na minha frente o tempo todo quando eu não preciso dessa quantidade de cuidados".

Fonte: Extra

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+