Concurso Correios: Até R$3 mil mensais para quem tem 2º grau

Estão bastante adiantados os preparativos do concurso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos para cargos de nível médio. 

Segundo fontes ligadas à estatal, a seleção será para cerca de 2 mil vagas de agente executivo, com remuneração inicial de até R$3 mil, nas funções de carteiro e operador de triagem e transbordo, sendo a maioria para a entrega de correspondências. 

Ainda segundo a informação de fontes, a seleção encontra-se em fase de escolha da organizadora.
A empresa já recebeu propostas de instituições que atuam no setor e há grande possibilidade da escolha ser anunciada nos próximos dias. A previsão de abertura do concurso é neste segundo semestre, em conformidade com declaração dada pelo presidente da estatal, Wagner Pinheiro, no fim do ano passado.

Na ocasião, ele chegou a destacar que o concurso, que foi anunciado em 2012, não vinha sendo realizado por conta da existência de ação da Justiça do Trabalho pleiteando a convocação de aprovados na seleção anterior, de 2011.

No decorrer do processo, entretanto, a juíza Audrey Choucair Vaz, da 15ª Vara do Trabalho de Brasília, ressaltou que não há nada no processo que impeça a realização de novo concurso e chegou a sugerir a abertura de processo apenas para determinadas localidades, como, de fato, irá ocorrer.

As oportunidades serão distribuídas por polos de diferentes estados, entre eles Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul. Além disso, haverá formação de cadastro de reserva. Segundo esclareceu a empresa, a remuneração inicial da função chega a cerca de R$2 mil, podendo chegar em torno de R$3 mil, com a inclusão de vale-alimentação/refeição e cesta, de cerca de R$1 mil.

Além disso, os funcionários dos Correios fazem jus a adicionais de atividade, plano de saúde, auxílio creche/babá, bolsas de estudo e vale-cultura, entre outros. Os candidatos deverão ser avaliados por meio de provas objetivas com 40 ou 50 questões de Português, Matemática e Conhecimentos Gerais, além de teste de esforço físico.

Decisão – Além de não impedir a abertura de um novo concurso, a ação que tramita na Justiça do Trabalho poderá fazer com que o número de contratações supere o quantitativo inicialmente previsto. Isso porque, em decisão do ano passado, motivada pela detecção de terceirizados irregulares, foi determinada a contratação de servidores em número equivalente à demanda verificada em levantamento a ser realizado.

E, segundo a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), a demanda estimada é de 15 mil trabalhadores.

Já a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), a carência é de 70 mil trabalhadores, sendo pelo menos 35 mil carteiros, incluindo a substituição de cerca de 30 mil terceirizados.

Estado do Rio precisa de 5 mil trabalhadores, segundo sindicato

O Rio de Janeiro é um dos estados que tem sofrido com falta de pessoal nos Correios, com a população ficando refém de um péssimo serviço, como destacou o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa no Estado (Sintect-RJ), Marcos Sant’Aguida.

Segundo ele, no Rio, são necessários cerca de 5 mil trabalhadores para se juntarem aos quase 14 mil em atividade atualmente nas diversas unidades da empresa no estado. “A situação do quadro de pessoal está fazendo a empresa oferecer um serviço de péssima qualidade.

E, ao mesmo tempo, as condições de trabalho deixam a desejar. Ou seja, isso reflete tanto na população, que tem um péssimo atendimento, por falta de pessoal, bem como nos trabalhadores, que acabam tendo uma sobrecarga de serviço”, relatou o sindicalista.

Sant’Aguida ressaltou ainda que é necessário a empresa agilizar a abertura da seleção. “Esse concurso é urgente”, disse ele, que se posicionou contrário à abertura de seleção para a contratação de temporários, como a empresa pretende para determinadas localidades. “Esse concurso é urgente. Só não podemos aceitar que seja para contratação por tempo determinado.

O presidente dos Correios vem intencionando isso, mas pelo menos nós, do sindicato do Rio e outros mais, além da nossa federação, a Findect, somos contra”, apontou. “A nossa posição é que seja como os anteriores, por prazo indeterminado”. A seleção para temporários tinha edital previsto para o último mês de junho.

No entanto, no fim do mês, os Correios informaram que “a contratação por tempo determinado depende de negociação com as representações sindicais, conforme consta do item 22 do Acordo Coletivo de Trabalho 2014/2015”, informou a estatal, que, posteriormente, destacou que a Findect foi signatária do acordo. As negociações com os trabalhadores deverão se estender até agosto.

Fonte: Folha Dirigida

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+