Ipu (CE): Politicagem faz diretor do HMI enfrentar problemas com funcionários

Na manhã desta segunda-feira (20), o Dr. Asarias Araújo, diretor do Hospital Dr. João Evangelista de Oliveira (Hospital Municipal de Ipu - HMI), publicou um texto em forma de desabafo na rede social facebook. Confira!

"Pensando aqui e publicando. Espero que entendam e se não entenderem, problema!

1º Não consigo entender porque há algumas pessoas que acham que porque o seu grupo político "foi o vitorioso nas urnas" que por isso podem ter determinados benefícios de trabalhar pouco ou enrolar no serviço.

2º Não entendo como alguém que era pra dar exemplo como cidadão e servidor público age ao contrário e perturba a ordem normal das coisas.

3º Não consigo entender como pode alguém pedir um atestado médico só para faltar no trabalho sem a causa ser justa.

4º Não entra na minha cabeça que uma pessoa torça para as coisas dar errada e até diga: "quanto pior melhor" só pelo simples fato de querer ter o mastro na mão, o cajado empunhado ou o pedestal pra si.

5º Não consigo aceitar gastos exagerados e sangrias desatadas no serviço público. Insumos, medicamentos, água, luz e etc, quando é público é de todos! Não custa nada usarmos de forma racional, equilibrada e com muita responsabilidade. Se público é de todos, se é de todos é nosso, se é nosso temos que cuidar!
", publicou o diretor do HMI.

Procurado por nossa redação, o diretor do HMI preferiu não repassar maiores detalhes sobre os problemas com funcionários, mas deixou claro que estaria passando por atritos com alguns funcionários do HMI que estariam "misturando trabalho com política".

Não é preciso nem o diretor detalhar os problemas, pois pelo texto podemos imaginar. São dois tipos de problemas que ocorrem quando funcionários da situação (que votaram no prefeito) e funcionários da oposição (que não votaram no prefeito) começam a "misturar trabalho com política".

Os da situação: chegam atrasado e pensando que fazem o que bem entendem, isso só porque votaram no prefeito. Essa atitude dificulta para o diretor manter a casa em ordem.

Os da oposição: esses são piores. Tratam mal os pacientes, informam errado, omitem informações e mesmo sendo advertidos continuam agindo de forma errada, com a esperança de derrubarem o grupo do atual prefeito.

Lembrando que não estamos generalizando, pois existem grandes profissionais, tanto na situação como na oposição, e ainda existem aqueles que são éticos e não misturando trabalho com política. Isso todos sabem que é verdade e que infelizmente acontece, principalmente, num ambiente hospitalar, o que é grave, pois os pacientes não têm culpa dessa guerra de política entre situação e oposição.

O único questionamento que o Dr. Asarias Araújo nos respondeu foi quando questionado se ele advertia estes funcionários: "Já advertidos mais ou menos uns 35 funcionários verbalmente e uns 10 funcionários por escrito. A gente se queima (eu e Eduardo) pra manter a casa em ordem", desabafou.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+