Lava Jato: Aécio recebeu 26% a mais de que Dilma; Uma diferença de 8,5 milhões

Falando das contribuições financeiras da campanha de 2014 durante entrevista publicada nesta terça-feira (07/07) pela Folha de S. Paulo, a presidente Dilma Rousseff (PT) fez um questionamento interessante:

— No mesmo dia em que eu recebo doação, em quase igual valor o candidato adversário recebe também. O meu é propina e o dele não?

Realmente, o questionamento da presidente é pertinente e os dados do TSE mostram que nas listas oficiais de contribuição da campanha de 2014, entre os maiores fornecedores da Petrobras, a vantagem para o candidato Aécio Neves (PSDB) foi de 26% a mais de que Dilma (PT).

No Tribunal Superior Eleitoral, a soma das empresas com interesse em fazer negócios com a Petrobras (entre elas Odebrecht, UTC, Queiroz e outros que aparecem na Operação Lava Jato) mostram que Dilma recebeu R$ 29.990.852, enquanto a campanha de Aécio Neves recebeu R$ 38.550.000. Fazendo as contas, Dilma recebeu R$ 8,5 milhões a menos de que Aécio Neves.

Sobra as prisões preventivas, usadas para forçar confissões e delações de suspeitos que não tem o direito nem de saberem das acusações a ele impostas, a presidente Dilma disse:

— Olha, não costumo analisar ação do Judiciário. Agora, acho estranho. Eu gostaria de maior fundamento para a prisão preventiva de pessoas conhecidas. Acho estranho só.

E sobre à prisão de Marcelo Odebrecht e dirigentes da empresa, a presidente disse:

— Não gostei daquela parte (da decisão do juiz Sergio Moro) que dizia que eles deveriam ser presos porque iriam participar no futuro do programa de investimento e logística e, portanto, iriam praticar crime continuado. Ora, o programa não tinha licitação. Não tinha nada.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+