Lava Jato: A Justiça terá coragem de prender Eduardo Cunha?

Um dos argumentos para as prisões da Operação Lava Jato tem sido a citação em delação e o poder que o acusado teria para influenciar negativamente ou até mesmo atrapalhar as investigações, intimidando testemunhas ou destruindo provas.

A advogada Beatriz Catta Preta afirmou em entrevista nesta quinta-feira (30), ao Jornal Nacional, que decidiu deixar os casos dos clientes que defendia na Operação Lava Jato porque se sentia ameaçada e intimidada, após o depoimento que citou o pagamento de 5 milhões de dólares ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB). (Veja Aqui).

"Não recebi ameaças de morte, não foram diretas, mas as ameaças são veladas, cifradas", diz Beatriz Catta.

A advogada contou que "aumentou essa pressão, essa tentativa de intimidação a ela e a família após Júlio Camargo (um dos ex-clientes dela) mudar a delação e acusar Eduardo Cunha", afirmou.

E agora? Eduardo Cunha ficará solto?

Advogada Beatriz Catta foi convocada para ir a CPI da Petrobras em requerimento aprovado por unanimidade no plenário. Segundo ela, isso é uma forma de intimidá-la e ela está sendo perseguida pelos membros da CPI. O autor do requerimento de convocação da advogada foi feito pelo deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), aliado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

E agora? Ainda não é suficiente para prender Eduardo Cunha?

O ex-consultor da Toyo Setal Júlio Camargo, réu em processos da Operação Lava Jato, afirmou que eventuais contradições nos depoimentos prestados em acordo de delação premiada são consequências de um "temor" em relação ao presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

Em depoimento prestado para colaboração com a Justiça, Camargo afirmou que foi pressionado por Cunha a pagar US$ 10 milhões em propinas para que um contrato de navios-sonda da Petrobras fosse viabilizado. Do total do suborno, contou o delator, Cunha disse que era "merecedor" de US$ 5 milhões.

E agora? Vão prender Eduardo Cunha ou ele não oferece perigo nenhum para a Lava Jato?

"Basta ver o que a CPI tem tomado uma série de medidas para desmoralizar a investigação, convocando familiares de colaboradores e pedindo a quebra de seus sigilos bancários e fiscais, além de medidas de coação contra Delegados Federais e advogados, a lógica da gangue continua vigorando: intimidação e corrupção", diz trecho do documento de defesa de Júlio Camargo. (Veja Aqui).

E agora? Ainda faltam provas?

Advogada Beatriz Catta revelou que Júlio Camargo apresentou provas do pagamento de propina a Eduardo Cunha.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+