Manifestações Fracas: Governo Dilma ganha novo gás contra oposição

As manifestações deste domingo (16) foram bem inferiores as anteriores. Em algumas cidades do país o número chegou a cair pela metade e isso dará um novo gás ao governo Dilma Rousseff (PT).

Os números divulgados pela Polícia Militar indicam que as manifestações deste domingo foram bastante abaixo do esperado, na comparação com os meses de março e abril. Resta saber qual será o efeito que a baixa adesão aos movimentos causará nos deputados e senadores.

O mês de agosto tinha tudo para ser o mais difícil para a presidente Dilma, isso porque era esperado as retaliações do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PDMB-RJ), com suas pautas bombas e julgamento das contas de Dilma, mas o vento mudou a favor da presidente. As contas dos ex-presidentes que foram colocadas em julgamento por Cunha, em comissão individual no Congresso, para abrir caminho para o julgamento das contas de Dilma, terão que retornar para serem julgadas novamente e em sessão mista, entre o Congresso e Senado.

A presidente começou o mês de agosto obtendo decisões positivas e favoráveis no STF, TSE e TCU. Com isso, o seu governo ganhou um novo gás contra o cada vez mais distante impeachment. A baixa adesão as manifestações deu força a chamada "Agenda Brasil" que é um conjunto de propostas que foram apresentadas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A "Agenda Brasil", embora com pontos que Dilma e ministros discordem, ao menos, serviu para reaproximar Renan de Dilma e isolou ainda mais o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que ainda deverá sofre uma denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no âmbito da Lava Jato.

O impeachment se distanciou e o povo brasileiros também se distanciou das ruas. Agora é esperar que a crise também venha a se distanciar da economia brasileira.

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+