Quadrilha de loiras lucrava R$ 100 mil por semana com roubo de cargas

A quadrilha de loiras suspeita de roubar pelo menos dez caminhões no Rio chegava a lucrar R$ 100 mil por semana, de acordo com informações da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). 

Nesta quarta-feira, agentes da especializada prenderam em Anchieta, na Zona Norte, Rebeca de Oliveira Soares, de 29 anos, conhecida como Big Loira. 

Ela é uma das suspeitas de integrar a quadrilha, que usa como base o Complexo do Chapadão, na Pavuna, na Zona Norte do Rio.

As armas usadas pelo bando, segundo informações da polícia, eram emprestadas por integrantes do tráfico de drogas do Chapadão, que ficava com parte dos lucros. A maioria das cargas roubadas era de bebidas e de frigoríficos.

Antes de ser presa, Rebeca havia pintado o cabelo de um tom escuro. A medida, segundo a polícia, era para para evitar ser reconhecida por motoristas. Também são suspeitos de integrar a quadrilha Mayana Rosa Alves, considerado foragida, e Alan Luís Matos dos Santos, que está preso.

Rebeca, Mayana e Alan foram presos juntos, em dezembro do ano passado, com uma metralhadora e granadas. Em janeiro, as mulheres foram soltas. Alan continuou preso.

Rebeca responde a um processo por roubo, no qual teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, e outro por porte ou posse de arma de fogo de uso restrito. Mayana responde às mesmas ações, além de outras duas, também por roubo.

Quem tiver informações sobre o roubo de cargas e outros crimes pode ligar para a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) da Polívia Civil, que funciona 24 por dia, todos os dias da semana (inclusive fim de semana e feriado). O telefone da central é 98197-2424.

Fonte: Extra

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+