Real é a segunda moeda que mais se valoriza comparado ao dólar

O Plano Real foi um programa brasileiro com o objetivo de estabilização e reformas econômicas, iniciado em 27 de fevereiro de 1994 com a publicação da medida provisória número 434. Tal medida provisória instituiu a Unidade Real de Valor (URV), estabeleceu regras de conversão e uso de valores monetários, iniciou a desindexação da economia, e determinou o lançamento de uma nova moeda, o Real.

Em 19 de maio de 1993, o sociólogo Fernando Henrique Cardoso (FHC) foi nomeado para o cargo de Ministro da Fazenda pelo Presidente Itamar Franco. Na época, FHC ocupava o cargo de Ministro das Relações Exteriores. FHC assumindo a economia do país prometendo acabar com a inflação, ou pelo menos reduzi-la. Ele veio para ser o candidato natural à sua sucessão de Itamar Franco.

O sociólogo FHC reuniu um grupo de economistas para elaborar um plano de combate a inflação, como Persio Arida, André Lara Resende, Gustavo Franco, Pedro Malan, Edmar Bacha e Winston Fritsch. Clóvis Carvalho, secretário-executivo do Ministério da Fazenda, coordenava as reuniões e passou a ser uma espécie de gestor da equipe, embora FHC não fosse economista e sim sociólogo.

A intenção de FHC era repetir mais uma vez a prática de "cortar três zeros", porém, no mês de agosto de 1993, lançamento do Cruzeiro Real a inflação foi de 33,53%, e em janeiro de 1994, de 42,19%. Os gastos do governo contribuíam grandemente para a hiperinflação, uma vez que a máquina do Estado brasileiro era grande, dispendiosa e ávida por mais recursos.

A partir de 28 de fevereiro de 1994, como efeito da Medida Provisória nº 434, iniciou-se a publicação dos valores diários da Unidade Real de Valor (U.R.V.) pelo Banco Central.

FHC saiu do governo antes em março de 1994, antes do lançamento do Real que acontece em 1º de junho de 1994, que deixou o governo para se candidatar a Presidência da República. Como parte do acordo para fazer de FHC sucessor de Itamar, as primeiras cédulas de Real veio com a assinatura de FHC, algo inconstitucional, como mesmo disse o ex-presidente Itamar Franco que também, posteriormente, discordou das tentativas de fazerem de FHC "O Pai do Real".



Em 30 de março, Rubens Ricúpero assumiu o Ministério da Fazenda para substituir FHC. Em 1º de Julho o Real foi lançado, mas Ricúpero caiu meses depois, em setembro de 1994, devido à repercussão na imprensa do que se chamou "escândalo da parabólica", assumindo em seu lugar o cearense Ciro Gomes que passou a trabalhar na estabilização e valorização do Real. (Veja Aqui).

Até o início da circulação do Real (R$), em 1º de julho de 1994, a inflação acumulada foi de 763,12% (no ano) e 5.153,50% (nos doze meses anteriores).

A redução da miséria e pobreza, segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas - (FGV), houve entre os anos de 1993 e 1995 uma redução de 18,47% da população miserável do país fruto do sucesso do plano do governo Itamar Franco (classificada com o número de pessoas que vivem com menos de US$ 1 ao dia). Um dos melhores índices da história que veio a ser superado no governo Lula que reduziu em 75% a população miserável do país, entre 2001 e 2012, e no mesmo período, a pobreza foi reduzida em 65% (classificada com o número de pessoas que vivem com menos de US$ 2 ao dia). (Veja Aqui).

Mas após a posse de FHC em 1995, a economia desandou e os brasileiros voltaram a sentir a alta inflação. O país foi em 2º no Ranking Mundial de desemprego. A economia passou a ser refém do FMI, a quem o Brasil foi pedir dinheiro e pagava altos juros que acabavam sendo pagos pelos brasileiros. No Brasil existia mais fome que em muitos países da África e no Brasil morria quase 300 crianças, por dia, a maioria de fome. (Veja Aqui).

Quando Lula assumiu como presidente do Brasil, um dólar valia 3,533 reais e foi lula que estabilizou a economia e levou a dólar a 1,761 em comparação com o real.

Com Lula presidente, de 1º de janeiro de 2003, até dezembro de 2009, o real valorizou-se 100,6% em relação ao dólar, segundo um estudo inédito da consultoria Economatica que comparou a variação do dólar com moedas de sete países da América Latina. (Veja Aqui).

Real é a segunda moeda que mais se valoriza comparado ao dólar. (Veja Aqui).

O estudo foi realizado pela CMA, empresa de sistemas de informações, análises e operações para os mercados financeiros e de commodities, elaborado em março de 2015, quando o real atingiu R$ 3,4247 com a maior cotação de fechamento desde 20 de março de 2003, quando encerrou a R$ 3,478.

A empresa especialista nos mercados financeiros mostrou que o real é a segunda moeda que mais se valorizou neste mês ante a moeda norte-americana, (9,78%), ficando atrás apenas do rublo (11,64%).

A pesquisa, que monitora 37 moedas, aponta que os países emergentes de maneira geral têm apresentado volatilidade em seus mercados, o que sugere uma realização de ganhos de curto prazo. Ou seja, os compradores em dólar (especuladores) realizaram vendas de seus ativos para obter lucro.

Na última edição do relatório Focus, do Banco Central, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2015 é de R$ 3,20 por dólar. Para o término de 2016, a previsão dos analistas ficou estável em R$ 3,30 por dólar.

Veja o ranking da valorização frente ao dólar em abril de 2015

Rublo (Rússia)– 11,64%
Real (Brasil) – 9,78%
Peso colombiano (Colômbia) –– 7,53%
Dólar canadense (Canadá) – 5,23%
Coroa norueguesa (Noruega) – 5,03%
Won sul coreano (Coreia do Sul) –– 4%
Ringgit (Malásia) –– 4%
Peso chileno (Chile) –– 3,06%
Rande sul-africano (África do Sul) –– 2,7%
Coroa dinamarquesa (Dinamarca) –– 2,26%

GOSTOU? CURTA NOSSA PÁGINA E FAÇA UM COMENTÁRIO!
Compartilhar no G+