Adolescente é encontrada morta após desaparecer em excursão escolar no interior de SP

Laudo do IML aponta causa indeterminada para morte de aluna. Exame descarta que jovem tenha sido vítima de algum tipo de violência. Estudante foi encontrada morta em fazenda de Itatiba (SP).

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí (SP) apontou morte por causa indeterminada para o caso da estudante Victoria Mafra Natalini, de 17 anos, encontrada sem vida em uma fazenda em Itatiba (SP) nesta quinta-feira (17). Ainda segundo o IML, o exame descarta que ela tenha sido vítima de violência. Parte dos órgãos da jovem foi enviada para exames laboratoriais que determinarão se houve algum tipo de intoxicação. O boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado como morte suspeita na delegacia de Itatiba e o caso será investigado.

O corpo de Victoria será enterrado às 9h desta sexta-feira (18) no Cemitério Gethsêmani, na Zona Sul de São Paulo. A aluna foi achada em uma mata fechada depois de se afastar do grupo de 20 estudantes de São Paulo que foi à Fazenda Pereiras, localizada no quilômetro 98 da Rodovia das Estâncias, para fazer um trabalho de topografia. A atividade fazia parte da excursão escolar promovido pela escola Waldorf Rudolf Steiner, da capital, onde ela estudava.

Na tarde de quarta-feira (16), durante a atividade, a estudante se distanciou do grupo alegando que ia tomar água e acabou se perdendo. A Polícia Militar foi acionada e usou o helicóptero Águia, além de policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE), para ajudar nas buscas. A adolescente só foi encontrada na manhã desta quinta-feira, já sem vida.

Segundo a polícia, a vítima não apresentava sinais de violência física. A polícia investiga as causas da morte. Segundo reportagem do SPTV, testemunhas afirmaram que a aluna tinha histórico de convulsões.

A polícia vai ouvir todas as pessoas que estavam na fazenda. Os investigadores querem saber qual foi o caminho feito pela aluna até o desaparecimento. Um tratorista disse à polícia que viu Victoria andando sozinha.

Um dos donos da fazenda conversou por telefone com o G1 e lamentou o ocorrido. De acordo com Matias Vargas, essa é a primeira vez que um caso do tipo é registrado no local. Vargas explica que há quase 10 anos abre as portas de sua fazenda para os alunos da escola Waldorf Rudolf Steiner, com sede no bairro do Alto da Boa Vista, Zona Sul de São Paulo. “Eu sou ex-aluno da escola e eles sempre vêm aqui. Criamos uma parceria e nunca tivemos problemas.”

A escola Waldorf Rudolf Steiner, com sede no bairro do Alto da Boa Vista, Zona Sul de São Paulo, divulgou em nota que a adolescente participava com colegas de classe de “atividades curriculares externas tradicionalmente desenvolvidas pela instituição de ensino”. A escola decretou luto a partir do meio-dia desta quinta (17) e na sexta-feira (18).

Veja a íntegra da nota:

“É com profundo pesar que a escola Waldorf Rudolf Steiner informa o falecimento de uma aluna da 10ª. Série na área da fazenda Pereiras, município de Itatiba. A aluna participava, com seus colegas de classe, de atividades curriculares externas tradicionalmente desenvolvidas pela instituição de ensino.

Até o momento não há detalhes acerca do ocorrido, que já está sob investigação oficial.

Os demais alunos que participavam daquelas atividades encontram-se em segurança na sede da fazenda.

A escola estará em luto a partir do meio-dia desta quinta-feira dia 17 e também amanhã, dia 18, em respeito à família da aluna, colegas e toda a comunidade de nossa instituição.

A escola Waldorf Rudolf Steiner lamenta profundamente o ocorrido e está comprometida em garantir todo o apoio a família, alunos e membros de nossa comunidade.

A Diretoria”

Fonte: G1

Compartilhar