Aumento de receitas fiscais e de corte de despesas obrigatórias

Comprometida com um superavit de 0,7% do PIB para 2016 e para atingir essa meta, a presidente Dilma Rousseff (PT) enviará, nas próximas semanas, propostas de aumento de receitas fiscais e de corte de despesas obrigatórias. O compromisso foi assumido nesta quarta-feira (9).

Dilma admitiu que para atingir a nova meta fiscal terá que haver aumento de impostos e citou três alternativas de estabilizar a relação dívida/PIB: crescimento, menos juros e superavit. A presidente disse que o governo não controla as primeiras duas alternativas.

Com as declarações da presidente, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fica mais aliviado, pois o mesmo vinha defendendo que o governo se comprometesse oficialmente com superavit de 0,7% do PIB para 2016, após o impacto negativo de ter que enviar ao Congresso uma proposta orçamentária com deficit. O ministro tem recebido elogios da presidente que em sua última entrevista disse que Levy conta sua inteira confiança e que ele é uma pessoa com espírito público exemplar.

Compartilhar