Crise é criada pelo inconformismo e medo do retorno do PSDB

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é um poço de incoerência. Uma hora ele defende o governo Dilma Rousseff (PT) já tendo afirmado que a presidenta não tem culpa nenhuma por corrupção envolvendo membro do PT.

Nesta quarta-feira (23), FHC criticou a decisão do PSDB de votar contra o fator previdenciário, criado por ele próprio, em seu segundo mandato, pois a intensão dos parlamentares do PSDB era tão somente promover o ‘quanto pior, melhor’: “Não se pode confundir o Brasil, com interesses que são maiores, com lutas momentâneas”, afirmou ao Broadcast Político.

Já nesta quinta-feira (24), o presidente FHC que havia condenado a irresponsabilidade fiscal do PSDB com o fator previdenciário, o tucano usou o Facebook para criticar o PT e comemorar a crise:

“O PT deve estar mordendo a língua, de tanto que disse que recebeu um governo quebrado em 2002. Nunca reconheceram que o dólar disparou e a inflação subiu naquele ano exatamente em função do medo causado pela eleição do Lula.

E agora? A alta do dólar bateu todos os recordes devido ao medo causado pelo desgoverno do próprio PT. Nada nas contas externas justifica tão forte desvalorização do Real frente ao dólar. Só mesmo a percepção de que nas mãos do governo do PT não existe capacidade para corrigir os erros de política econômica que seu governo fez, reiteradamente. São as lições da história.”

É normal o medo do desconhecido e daquilo de ruim que já conhecemos. Então seria natural o medo de Lula, mas o ex-presidente petista fez um grande governo e quando saiu tinha o maior índice de aprovação de um presidente brasileiros, acima de 80%.

Então, será que a crise não é um medo do impeachment da presidente Dilma e o retorno do Brasil nas mãos dos tucanos que já demostraram como quebrar o país e viver refém do FMI?

Compartilhar