Família tentou simpatia depois que menino foi picado por cobra em MS

Especialistas alertam que vítimas devem buscar atendimento médico urgente. Garoto de 10 anos continua internado e estado de saúde é estável.

O menino de 10 anos, picado por um cobra jararaca no Pantanal, continua internado no Hospital Regional de Corumbá. O estado de saúde dele é estável, segundo o hospital. O acidente aconteceu no domingo (27), por volta das 9h (de MS), na região do Taquari, a 70 km de Corumbá. A família pediu socorro só depois de quatro horas porque antes tentou resolver a situação com uma simpatia, segundo a pescadora Dina Angélica, mãe do garoto.

“Matou a cobra, foi e tirou a tripa da cobra, pôs no pé dele e amarrou com o pano a tripa no pé dele. Diz que é pra tirar o veneno da cobra. E quando chegou o avião eu tirei a tripa do pé dele”, contou a mãe.

Simpatia e remédios caseiros são comuns no Pantanal, mas o ideal, segundo os especialistas, é sempre pedir socorro ao Corpo de Bombeiros ou procurar atendimento médico.

Nesse caso, a principal dificuldade no resgate foi o difícil acesso à região do Pantanal, por isso, o salvamento foi feito com aeronave.

Na região, o Corpo de Bombeiros conta com a ajuda do 6º Distrito Naval de Ladário, que tem três helicópteros. Um deles sempre fica reservado para esse tipo de atendimento. Só neste ano, já foram feitos 13 resgates na região pantaneira.

O resgate do garoto duraria cerca de seis horas se fosse feito de barco, mas, com ajuda de helicóptero, socorro foi em 40 minutos. Segundo o hospital, ele deve ficar internado por pelo menos mais uma semana, já que é preciso tirar todo o veneno do pé para depois curar a infecção causa pelas bactérias da boca da cobra. O estado de saúde dele ainda requer cuidados e atenção.

Na hora do desespero, a família do garoto saiu de casa para o hospital sem pegar dinheiro, por isso, eles precisam de ajuda financeira. Quem quiser ajudar pode doar dinheiro, roupas, comida e até a condução para a família voltar para casa depois da alta. As doações devem ser feitas no Hospital de Corumbá.

Fonte: G1

Compartilhar