Ipu (CE): “Pagamos R$ 200 mil, por mês, pelos roubos e desvios da gestão passada”

O prefeito de Ipu, Sérgio Rufino (PCdoB), durante entrevista ao seu programa político, revelou para os ipuenses e, principalmente para os funcionários municipais, aos mais interessados, que durante a gestão passada foram desviados mais de R$ 6 milhões da IPUPREV.

“Eu me revolto, R$ 200 mil reais de parcelamentos de conta passada”, disse o prefeito que questionou se isso era justo.

“Será que é justo deixar de pegar esses R$ 200 mil reais e aplicar lá no calçamento do Marruás, como a senhora falou agora? [Uma ouvinte que ligou para o programa perguntando quando seria colocado o calçamento na localidade].

O prefeito disse que esse recurso de R$ 200 mil, tirados todos os meses das contas do município, são recursos que deixam de ser aplicados em benefício da população ipuense e revoltado afirmou:

“Nós estamos pagando roubo e desvio de dinheiro da gestão passada”, disse Sérgio Rufino.

O prefeito disse que as pessoas precisam ter a consciência de que “esses R$ 200 mil que nós pagamos todos os meses, por conta desses R$ 6 milhões que não foram pagos lá [na IPUPREV], está deixando de ser investido em outro lugar.”

Sérgio Rufino questiona qual vereador de oposição faz discurso inflamado falando sobre esses desvios de dinheiro. Qual radialista fala sobre isso e faz pergunta: “Cadê esse dinheiro? Foi pra onde?”

Questionado pelo radialista Joaci Melo sobre o que aconteceria que essas pessoas que desviaram o dinheiro dos funcionários municipais, o prefeito lamenta que a justiça seja lenta, mas disse que ainda acredita nela.

Sérgio Rufino afirmou que esse valor que supera os R$ 6 milhões e que foi desviados dos funcionários municipais, “é fato, isso é provado e as pessoas olham e dizem: O quê que aconteceu? Tá pagando como? Quem é que está respondendo por isso? Eu digo e repito: Mesmo [a justiça] sendo lenta, uma dia chega.”

O também radialista Rogério Palhano questionou o presidente da IPUPREV, Jorge Filho, que estava nos estúdios e este reforçou:

“O prefeito falou do parcelamento. O prefeito parcelou a divida em 60 meses [5 anos]. Nós estamos aí, com uma despesa que o prefeito não contava com ela”, lamentou.

Jorge Filho ainda lembrou que mesmo com esses problemas, causados pela gestão passada, com a chamada ‘Herança Maldita’, “na situação que o nosso município se encontra, nós temos funcionários em dia, credores em dias, a previdência em dia, que não é toda previdência que esteja em dia, eu tenho contato com as outras previdências, da previdência privada dos municípios, que estão em situação horrorosas, 4 meses atrasadas, 5 meses atrasadas. A nossas é altamente em dia”, destacou.

Ouça o áudio a seguir!