Jovem que morreu afogado em praia se despediu da mãe antes de sair

Adolescente morava em Fortaleza desde 2008. Corpo ficou desaparecido por 24 horas.

O jovem Darcier Vasconcelos, de 17 anos, que morreu afogado no sábado (26) durante um passeio na Praia do Iguape, na Grande Fortaleza, declarou seu amor a mãe. “Ele saiu me abraçando, me beijando, mandando que eu segurasse na mão de Deus, que tudo ia dar certo e que ele me amava profundamente. Foram as últimas palavras do meu filho”, conta Jacinta Medeiros de Sousa, mãe do adolescente.

Darcier Vasconcelos foi encontrado pelo Corpo de Bombeiors cerca de 24 horas depois do desaparecimento, a alguns quilômetros do local onde tomava banho de mar com outros amigos. O estudante fazia parte de um grupo de jovens da Igreja Santa Cruz do Itaperi, com quem fazia a viagem neste fim de semana. De acordo com os colegas da vítima, quatro adultos estavam responsáveis pelo grupo.

Jacinta conta que Darcier havia pedido para ir com amigos à praia. Ela confessa que não queria que o filho fizesse a viagem, porém cedeu ao pedido. ”Eu não queria [que ele fosse], mas se eu dissesse ‘meu filho não vá’, acho que ele dava um jeitinho de ir. Porque ele queria ir, sabe como é adolescente”, disse.

Filho adotivo de Jacinta, Darcier estava com a família deste o primeiro dia de vida. Ele morava em Fortaleza desde 2008, quando veio com os familiares do município de Baturité. Além da mãe, o estudante tinha quatro irmãos.

Uma das irmãs de Darcier, Carolina Vasconcelos, afirma que a família não conseguiu contato com nenhum dos responsáveis pelo grupo antes da viagem. A notícia da morte do adolescente foi dada por telefone, no domingo (27). O corpo foi encontrado na Prainha, por um agente de trânsito de Aquiraz.

Para a irmã, agora só resta pedir forças a Deus. “Infelizmente não pode ser feito mais nada! Eu sei que os amigos dele estão todos sofrendo e a única coisa que a gente pode fazer agora é pedir a Deus conforto, porque agora ele está seguro de verdade”, disse.

Integrantes do grupo da igreja que Darcier freqüentava entraram em oração por ele e pela família. “Mesmo tendo sido tirado de forma tão rápida e tão drástica, nós acreditamos que ele está nos braços de Deus”, afirma o seminarista Adriano Rocha.

Fonte: G1

Compartilhar