Morto em colisão postou na web que se não voltasse, teria ido ‘com Deus’

Jovem de 25 anos dirigia o carro em que todos os ocupantes morreram. Acidente na BR-210, no Amapá, deixou 4 mortos e 3 gravemente feridos.

O jovem Renan Costa, de 25 anos, que morreu após acidente fatal que vitimou quatro pessoas e deixou outras três gravemente feridas, na Rodovia BR-210, próximo à comunidade Monte Tabor, no Amapá, publicou no dia 15 de setembro em sua página no Facebook, a seguinte frase: “Deus viaja comigo, se um dia eu não voltar é por que viajei com ele”. O acidente aconteceu na noite de sábado (19).

Renan era quem dirigia o carro tipo voyage que se chocou de frente com um veículo tipo celta. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspeita que tenha havido ultrapassagem perigosa ou excesso de velocidade. Por causa da gravidade da colisão, a corporação informou não ter podido realizar teste de alcoolemia nos sobreviventes do veículo celta, que seguia no sentido para Macapá. O carro tipo voyage trafegava rumo a Ferreira Gomes. Todos que estavam a bordo morreram.

“Não podemos realizar o teste de alcoolemia, devido a gravidade do acidente. Mas, segundo os agentes, foram encontradas latas de cerveja dentro do voyage”, informou o inspetor da PRF Jerferson Oliveira.

Na publicação no Facebook, Renan aparece na foto encostado ao veículo com o qual se acidentou. Neste domingo (20), centenas de internautas fizeram comentários prestando condolências ao jovem e às demais vítimas. Houve mais de 30 compartilhamentos.

A PRF informou que morreram no local do acidente Marlu Xavier de Lima, de 46 anos, Amanda Lima Amoras, de 16 anos, e Kátia Souza Machado, de 40 anos, todas passageiras no voyage. O motorista do mesmo carro Renan Soares Costa, de 25 anos, morreu no Hospital de Emergências de Macapá.

Publicação no Facebook aconteceu quatro dias antes do acidente (Foto: Reprodução / Faceboo)
Publicação no Facebook aconteceu quatro dias antes do acidente (Foto: Reprodução / Faceboo)

Segundo a PRF, os três ocupantes do celta, de 15, 23 e 26 anos, ficaram presos às ferragens, mas foram retirados e levados para o Hospital de Emergências da capital.

Fonte: G1

Compartilhar