Papa diz que quem acoberta pedofilia na Igreja ‘é culpado’

O papa Francisco voltou nesta segunda-feira (28) a denunciar o comportamento daqueles, “incluindo alguns bispos”, que são “culpados” de ter acobertado crimes de pedofilia na Igreja.

“Nós não podemos encobrir” atos de padres pedófilos e “aqueles que os acobertam são culpados, incluindo alguns bispos”, ressaltou o Papa em uma coletiva de imprensa no avião que o trouxe dos Estados Unidos.

“Os abusos sexuais ocorrem em toda parte: no ambiente doméstico, vizinhança, escolas, recintos desportivos”, lembrou o pontífice argentino.

“Mas quando um padre comete um abuso, é muito grave, porque o seu objetivo é fazer a criança crescer, no amor de Deus, em direção à maturidade emocional, para o bem”, acrescentou.

Domingo, na Filadélfia, o Papa recebeu vítimas de atos de peofilia e declarou aos bispos americanos: “Deus chora. Os crimes e pecados de abusos sexuais de crianças não devem continuar a ser mantidos em segredo” e os responsáveis “vão responder por seus atos”.

“Eu falei duramente”, disse então no avião.

Perdão

Dias antes, em Washington, ele atraiu a ira de organizações de vítimas por expressar sua “compaixão” para com os bispos americanos.

“Eu falava a todos os bispos dos Estados Unidos e senti a necessidade de expressar a minha compaixão por uma coisa horrível: muitos deles sofreram, eles não sabiam”, explicou.

No entanto, ele disse compreender aqueles que não querem perdoar: “Uma vez, uma mulher me disse: ‘Quando minha mãe descobriu que eu tinha sido abusada, ela blasfemou contra Deus, ela perdeu a fé e morreu ateia”.

“Eu entendo esta mulher, e Deus, que é melhor, compreende também. Tenho certeza de que Deus a acolheu. Porque o que foi destruído foi a sua própria carne, a carne de sua filha. Eu não julgo alguém que não pode perdoar”, declarou.

Escândalo

O escândalo dos padres pedófilos contribuiu grandemente para desacreditar a Igreja Católica. Os casos envolvendo dezenas de milhares de crianças revelados ocorreram, essencialmente, entre os anos 1960-1980.

Dezenas de bispos também se recusaram a ouvir as queixas das vítimas e protegeram os padres acusados.

No início de junho, o Vaticano criou uma nova instância para julgar os bispos que são culpados de acobertar padres pedófilos.

Fonte: G1

Compartilhar