Só PMDB importa para a presidente, reclama criador de Dilma Bolada

‘A vida é feita de escolhas e ela fez a dela’, disse Jefferson Monteiro na web. Ele é criador de personagem que imita Dilma e dava apoio à presidente.

O publicitário e criador do principal perfil satírico da presidente Dilma Rousseff na internet “Dilma Bolada”, Jeferson Monteiro, afirmou nesta quarta-feira (30) que a petista “não precisa” do seu apoio já que, na opinião dele, Dilma só se importa com o “apoio do PMDB”.

Conhecido por apoiar publicamente a presidente e o governo, Monteiro criticou as mudanças preparadas por Dilma na reforma ministerial, que devem ampliar o espaço do PMDB no governo. A estratégia da presidente é conter as constantes rebeliões na base governista e garantir apoio do principal partido da base aliada em votações no Congresso.

Jeferson Monteiro

“Dilma não precisa do meu apoio no Governo dela, nem o meu e nem do apoio de ninguém que votou nela. Afinal, para ela só importa o apoio do PMDB e de parte do empresariado para que ela se mantenha lá onde está. Trocou o Governo pelo cargo. Não é o Governo que eu e mais de 54 milhões de brasileiros elegemos”, disse Jefferson Monteiro em sua página pessoal no Facebook no início da tarde desta quarta.

“A vida é feita de escolhas e ela fez a dela. Agora o que nos resta é que saia algo bom para o Brasil dali e repetir os versos de Beth Carvalho: ‘Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão'”, criticou.

O publicitário disse, por telefone, ao G1 que “condena a estratégia de Dilma de se manter no cargo vendendo o governo”. Ele afirmou que não apoia mais a presidente mas que continua defendendo o mandato da presidente por ser “a favor da democracia”.

“Não sou dos que apoiam o impeachment. Sou a favor da democracia, então continuo defendendo o mandato dela [da presidente Dilma]. Não existe motivo [para impeachment]. Sou contra a saída de Dilma porque respeito a democracia e nossas instituições”, disse.

Ele afirmou ainda que deve publicar, até o final do dia, um comunicado oficial na página “Dilma Bolada” para explicar o que quis dizer com a postagem publicada mais cedo. “Até para dar uma satisfação. A princípio, não quero comentar o post”, complementou Monteiro.

Em resposta a um usuário no Facebook, porém, o criador da página justificou a decisão de não apoiar mais a presidente Dilma Rousseff com o fato de que a presidente deve nomear dois deputados indicados pela bancada do PMDB na Câmara e deve tirar o atual ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, do cargo.

“[Eduardo] Cunha no Ministério e [Renato] Janine fora da Educação. Não me restou alternativa. Compactuar com isso que eu não ia”, disse Monteiro.

Vídeos com críticas

Em outra rede social, o publicitário publico diversos vídeos curtos criticando a atual conduta do governo em negociar cargos com o PMDB.

Na página oficial do “Dilma Bolada” no Snapchat, Monteiro afirma que “não dá para defender o governo mais”.

“Não dá. O governo todo sendo entregue para o PMDB, para a turma do Renan [Calheiros, presidente do Senado], do [Eduardo] Cunha [presidente da Câmara]. Cara, foi mal. Beijo, Dilma”, critica.

“O que vai acontecer com o ‘Dilma Bolada’? Não sei. No Facebook não estou postando mais. Twitter e Instagram devem passar por uma reformulação. […] Essa conta [Dilma Bolada no Snapchat] vai ser desativada em breve”, explica Monteiro.

Fonte: G1

Compartilhar