Trabalhador é resgatado vivo após ficar 2h soterrado em MG

Homem de 32 anos instalava tubulação quando barranco cedeu sobre ele. Vítima foi levada para UPA com quadro de saúde estável.

O operário Gilmárcio Carneiro Alves, 32 anos, foi soterrado enquanto trabalhava em uma obra num loteamento em Nova Serrana. A operação de resgate, realizada pelo Corpo de Bombeiros, durou duas horas. A vítima foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local e seu quadro é estável.

De acordo com o tenente Thales Gustavo, comandante dos Bombeiros, o homem trabalhava na montagem de uma rede de esgoto em um loteamento perto do Bairro Santa Cruz quando entrou em uma vala de quatro metros de profundidade, feita com uma retroescavadeira. Quando ele estava lá dentro, as paredes de terra cederam.

Imediatamente os colegas de trabalho se dividiram nas funções de telefonar para o resgate e começar a retirar a terra que cobria o companheiro. Os bombeiros chegaram ao local cerca de cinco minutos depois e entraram no buraco para o resgate. “A cabeça dele ficou coberta por terra durante cerca de dez minutos. Quando conseguimos liberá-la, ele estava inconsciente e com a respiração bastante lenta, quase evoluindo para uma parada respiratória. Como o corpo estava preso à terra, levamos cerca de duas horas para retirá-lo. Neste tempo, a vítima recobrou a consciência e percebeu que estava sendo resgatado”, narrou.

Ainda segundo o bombeiro, o resgate foi feito sob risco de novo soterramento. “O lugar da obra é muito perigoso. Havia chance de novo deslizamento e não tivemos chance de fazer escoramento. A terra é muito pesada. Como o corpo dele ficou preso, precisamos cavar”, acrescentou.

Trabalhador é imobilizado após ser removido de buraco em Nova Serrana
Trabalhador é imobilizado após ser removido de buraco em Nova Serrana

Quando conseguiram remover toda a terra, os bombeiros imobilizaram a vítima e a levaram à UPA, onde deu entrada consciente e estável. O G1 procurou a Unidade para saber o quadro de saúde atualizado do operário, mas a reportagem não foi atendida pelos responsáveis. Peritos da Polícia Civil estiveram no local da obra e colheram imagens que serão usadas na investigação do acidente.

Fonte: G1