Vereadores podem perder mandato por má conduta e corrupção em MS

Além de compra de votos, 9 parlamentares são suspeitos de má conduta. Justiça ainda analisa pedido de afastamento de 17 vereadores.

Além de serem investigados por uma suposta compra de votos, 9 dos 17 vereadores também são suspeitos de má conduta na Comissão de Ética da Câmara de Vereadores, em Campo Grande. Ambas as situações envolvem a maior parte dos parlamentares e eles podem, inclusive, perder os mandatos caso a Justiça acate o pedido feito pelo Ministério Público. Nos dois casos, os procedimentos apuravam a cassação do prefeito Alcides Bernal, em 2014.

São os parlamentares Paulo Siufi, Carla Stephanini, Vanderley Cabeludo e Edil Albuquerque, todos do PMDB. Chiquinho Telles, Coringa e Delei Pinheiro, do PSD, Eduardo Romero, Flávio César e Otávio Trad, do PT do B, Jamal Salém, do PR, João Rocha, do PSDB, Edson Shimabukuro, do PTB, Gilmar da Cruz, do PRB, Airton Saraiva, do DEM e Carlão Borges, do PSB.

Sobre a comissão de ética, três dos cinco integrantes têm pedido de afastamento analisado pelo Tribunal de Justiça. “Até o momento, nada chegou na casa e por isso seguem os nossos trabalhos”, afirmou o vereador Chiquinho Telles (PSD). Questionados, todos os vereadores negam ter recebido alguma vantagem para votar pela cassação do Bernal.

Fonte: G1

Compartilhar