Administração Doria reduz em 53% atendidos por Leve Leite

No novo modelo, programa será baseado famílias em situação de pobreza e extrema pobreza; quantidade de leite fornecida também diminuirá.

A Prefeitura de São Paulo, na gestão do prefeito João Doria (PSDB), vai reduzir em 53% o número de crianças e adolescentes beneficiados pelo programa Leve Leite, diminuindo também os gastos com a iniciativa, a partir de março deste ano. O projeto, que distribui gratuitamente leite para alunos da rede municipal de ensino, foi criado pela Prefeitura em 1995, com o objetivo de combater a desnutrição e diminuir o índice de evasão escolar.

Segundo números da Secretaria Municipal de Educação, no novo modelo, o critério será baseado nos registros do Cadastro Único – que aponta as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. O leite será entregue para um total de 431,7 mil beneficiários, de até seis anos, sendo 223,2 mil matriculadas na rede municipal e 208,4 mil não matriculadas, mas que também são classificadas como estando em situação de pobreza. O número de atendidos em 2017 vai corresponder a 47% do total de atendidos pelo programa no ano passado.

Antes, os alunos matriculados entre a educação infantil e o ensino fundamental, com até dezesseis anos, e com, no mínimo, 90% de frequência nos meses anteriores à entrega do leite eram considerados aptos a receber o benefício. No ano passado, 916,2 mil estudantes foram beneficiados.

A justificativa da Prefeitura para o benefício não atingir mais os estudantes de sete a dezesseis anos é a “baixa necessidade do leite como complemento nutricional” nessa faixa etária. Além disso, o governo municipal propõe aumentar a frequência com que o leite é servido nas refeições das unidades escolares, passando a cinco vezes por semana, com “alteração do produto para maior concentração de cálcio”.

Fonte: Veja

Compartilhar