Lava Jato: “Cometi uma sandice”, afirmou Delcídio ao retirar acusações contra Lula

Além das 27 testemunhas de acusação que inocentaram Lula no caso triplex, o ex-presidente Lula também foi inocentado no depoimento do ex-senador Delcídio Amaral, no processo que corre em Brasília, sobre obstrução judicial por “compra do sigilo de Nestor Cerveró”.

“Cometi a sandice de tomar essa atitude”, declarou Delcídio.

Segundo o Estadão, em matéria publicada nesta quarta-feira (15), “o senador cassado Delcídio Amaral (ex-PT-MS, sem partido) reiterou nesta quarta-feira, 15, à Justiça acusações de sua delação premiada contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em depoimento de cerca de três horas, prestado à 10.ª Vara Federal, em Brasília, ele disse ter sido uma ‘sandice’ procurar a família do pecuarista José Carlos Bumlai, supostamente a pedido de Lula, e pedir pagamentos com o objetivo de comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, que considerava colaborar com a Lava Jato.”

Abaixo, nota da defesa do ex-presidente:

A defesa do ex-presidente Lula informou que as declarações de Delcídio do Amaral revelaram ‘de forma inequívoca’ que o ex-senador tinha ‘interesse próprio no processo de delação premiada de Nestor Cerveró’. “Delcídio Amaral admitiu que se sentiu ameaçado em conversas com familiares de Cerveró diante da possibilidade de o ex-diretor da Petrobras delatar supostos recebimentos de propina por ele, Delcidio, em contratos que a Petrobras firmou com a Alston e a GE, e, ainda, por supostas contribuições ilegais relativas à campanha de 2006 para o governo do Estado do Mato Grosso do Sul”, informa nota divulgada pelos advogados do ex-presidente.

A defesa ressaltou que Cerveró reconheceu em depoimento que as investidas de Delcídio tinham interesse de ‘dissuadi-lo de delatar o próprio Delcidio’ e que a advogada Alessi Brandão, que assessorou o ex-diretor da Petrobrás, confirmou o que foi dito pelo seu cliente, assim como Bernardo Cerveró.

A defesa de Lula alegou que Delcidio admitiu em seu interrogatório fazer uso recorrente de ‘bazofia’ (fanfarrice), “usando de afirmações que não correspondem à realidade”. “É nesse contexto que entendemos ter ele atribuído ao ex-presidente Lula uma frase para que verificasse o que poderia ser feito para ajudar a família de José Carlos Bumlai. Essa afirmação, além de não comprovada, não configura qualquer tentativa de obstrução à justiça. Delcídio ainda admitiu não haver testemunha dessa narrativa”, sustenta a nota, acrescentando que “todos os demais depoimentos” colhidos na ação penal “colidem com a versão de Delcidio e deixaram claro que Lula jamais fez direta ou indiretamente qualquer intervenção no processo de delação premiada” de Cerveró.

Advogados: Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira