Capitais têm paralisações e manifestações em dia de greve geral no país

Diversas capitais brasileiras amanheceram com falta de transporte público em virtude da greve geral convocada para todo o país contra as reformas trabalhista e da Previdência. Em algumas cidades, houve manifestações, e, em alguns casos, intervenção da Polícia Militar.

Movimentos sociais, sindicatos e partidos de oposição afirmam que os projetos de reformas retiram direitos dos trabalhadores ao alterar pontos da CLT (Consolidação das Lei do Trabalho) e endurecer as regras para conseguir a aposentadoria.

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, em entrevista ao UOL, criticou as paralisações feitas em todo o país desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (28). "Pode até haver quem tenha aderido. Mas o que quero dizer é que não teve a expressão que se anunciava. Numa greve geral, as consequências e a visibilidade certamente são outras, não a que nos percebemos. Essas paralisações são muito pontuais", afirmou o ministro.

O presidente Michel Temer (PMDB) passou a manhã desta sexta-feira no Palácio do Planalto, onde recebeu informações do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) sobre os protestos em todo o país. Ele também se reuniu com os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência) e Dyogo Oliveira (Planejamento). Não há eventos públicos na agenda de Temer hoje.

Em Belo Horizonte, a paralisação do transporte é parcial. Em São Paulo, houve conflito entre manifestantes e polícia na região da avenida São João, zona central da cidade.

Fonte: UOL
Compartilhar no G+