Emprego volta a cair e país perde 64.378 vagas com carteira no 1º trimestre

O Brasil fechou 63.624 vagas de emprego com carteira em março, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (20).

O Brasil fechou 63.624 vagas de emprego com carteira em março, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (20).

Com isso, o país perdeu 64.378 no primeiro trimestre do ano. O saldo não foi pior porque em fevereiro foram criadas 35.612 vagas formais, interrompendo uma sequência de 22 meses de resultado negativo.

O número de empregos fechados é o saldo, ou seja, o total de contratações menos o de demissões no período. Em março, foram 1.261.332 contratações e 1.324.956 demissões, resultando no fechamento de 63,6 mil vagas no mês.

Total de trabalhadores com carteira

O total de trabalhadores com carteira assinada no Brasil caiu para 38,2 milhões em março. No mesmo mês de 2016, o número de empregados formais era de 39,3 milhões.

Comércio lidera demissões

Dos oito setores da economia pesquisados, sete registraram saldo negativo, com o comércio puxando as demissões, e apenas um teve mais contratações. Confira o desempenho de cada um:

Comércio: -33.909
Serviços: -17.082
Construção civil: -9.059
Indústria de transformação: -3.499
Agropecuária: -3.471
Serviços industriais de utilidade pública: -731
Extrativa mineral: -447
Administração pública: +4.574

IBGE faz pesquisa diferente

Os dados divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério do Trabalho consideram apenas os empregos com carteira assinada.

Existem outros números sobre desemprego apresentados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que são mais amplos, pois levam em conta todos os trabalhadores, com e sem carteira.

A última Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua registrou que o Brasil tinha 13,5 milhões de desempregados no trimestre de dezembro a fevereiro.

Fonte: Reuters
Compartilhar no G+