Ipu (CE): Mortos em acidente no RJ e com parentesco Ipuense são enterrados

Os três jovens que tem parentesco com ipuenses que morreram após se acidentarem na madrugada de domingo (23) na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro, quando voltavam de uma despedida de solteiro, foram enterrados na tarde desta segunda-feira (24).

A cerimônia, que aconteceu em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, foi acompanhada por dezenas de parentes e amigos, que lamentaram o acidente.

Segundo Fábio Aragão, irmão do único sobrevivente da colisão, Fabrício Aragão, o grupo tentou pedir um carro por um aplicativo para voltar para casa. Fábio acrescentou que os jovens decidiram arriscar voltar de carro ao não conseguirem um motorista pelo aplicativo.

"Meu irmão me disse no hospital que pediram um Uber, mas a tela ficou presa na mensagem 'Recalculando rota'. Depois de insistirem muito, decidiram pegar o carro do Leandro, que ficava guardado em uma garagem na Lapa. A questão é que o Leandro era muito novo e tinha pouca experiência com direção. Não devia estar preparado para as condições de trânsito que encontrou na Presidente Vargas. A pista estava muito molhada", disse Fábio.

Gustavo Aragão Mesquita, de 28 anos, Fernando Aragão Garcia, de 29, e Leandro Aragão Garcia, de 24, morreram pouco depois das 3h de domingo. Eles voltavam da despedida de solteiro de Gustavo. "Estávamos ansiosos pelo casamento. Todos estavam muito felizes. Não dá para descrever a tristeza da nossa família", lamentou Fábio. Gustavo era formado em química, Fernando, em estatística e Leandro trabalhava como manobrista em um condomínio.

Os três e Fabrício, que sobreviveu, haviam se encontrado na Lapa. Imagem publicada no Facebook de uma das vítimas mostra os quatro com com copos de bebida, que seria alcoólica. Fábio, no entanto, afirma que Leandro, que estava dirigindo, não bebeu.

"Sempre que saíam, eles faziam um rodízio para ver quem ficaria sem beber e voltaria dirigindo. Naquela noite foi o Leandro", afirmou Fábio.

O veículo em que eles estavam perdeu o controle após bater em outro carro e atingiu a escada de uma passarela por volta das 3h na pista sentido Zona Norte, na altura do Sambódromo.

"Meu irmão só sobreviveu porque estava com o cinto de segurança afivelado. O air bag também ajudou a conter o impacto. Mesmo assim, ele ainda fraturou um dos braços e também uma das vértebras da coluna", relatou Fábio.

Após o acidente, policiais civis da 6ª DP (Cidade Nova) realizaram perícia e ouviram testemunhas. Os corpos de Fernando, Gustavo e Leandro foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) para necropsia e liberados durante a noite.

Fonte: G1
Compartilhar no G+