Terceirização dificulta vida dos trabalhadores e servidores contratados pelas prefeituras

Veja o que diz parte do texto sobre terceirização:

"O relatório propõe uma série de salvaguardas para o trabalhador terceirizado. Em março, o presidente Michel Temer sancionou uma lei que permite a terceirização para todas as atividades de uma empresa.

O parecer inclui uma espécie de quarentena, na qual o empregador não poderá demitir o trabalhador efetivo e recontratá-lo como terceirizado num período de 18 meses." (veja mais detalhes aqui).

A terceirização prejudica os trabalhadores e contratados pelas prefeituras

Todos sabemos que um terceirizado ganhar até 30% menos que um trabalhador contratado direto. Isso reduz a folha de qualquer empresa ou prefeitura em 30%.

As vantagens para o empregador são enormes e as grandes empresas e prefeituras deverão aderir a terceirização.


Para as grandes empresas será ótimo, mas surgem problemas para as pequenas empresas e prefeituras.

O problema é que o trabalhador que for mandado embora só poderá retornar como terceirizado após 18 meses (1 ano e 6 meses).


Se uma empresa gosta do trabalho de um bom funcionário, ele não poderá mandá-lo embora para contratá-lo como terceirizado, pois a lei exige 18 meses de quarentena.

Já no caso das prefeituras, muitas utilizam terceirizados para fugir da Lei de Responsabilidade Fiscal e para contratar pessoas que são aliados dos prefeitos. 
Agora isso muda completamente.

Antes muitos servidores contratados pelas prefeituras foram mandatos embora para serem empregados através de uma empresa terceirizada, mas com a mudança da lei, quem for mandado embora, não retorna antes dos 18 meses. 

Outro detalhe curioso é que era comum alguns servidores contratados pelas prefeituras quando chega ao final da gestão aderia a oposição, após um acordo com o candidato da oposição que sendo o novo prefeito contrataria aquele servidor. 
Agora isso poderá ser impossível de ser feito.

Quando um servidor contratado sair da gestão para ser contratado pela oposição vitoriosa, o servidor esbarra na lei e terá de ficar 18 meses fora da prefeitura. A solução seria a contratação direta, sem passar por uma empresa terceirizada, mas casa vez mais os prefeitos estão aderindo as empresas de terceirização. 

São vários embaraços e dificuldades que essa nova lei trará aos trabalhadores e servidores público.
Compartilhar no G+