Aécio defendeu Moraes no STF para estancar Lava Jato

Num dos trechos das gravações da JBS, divulgadas ontem pelo STF, revela o senador Aécio Neves (PSDB-MG) comentando com o empresário Joesley Batista sobre usar a Polícia Federal e o próprio STF como forma de estancar a Lava Jato.

Isso seria feito através do direcionamento dos inquéritos para delegados indicados por Aécio, o peemedebista Moreira Franco e mesmo o próprio Temer, aponta um trecho de conversa. Confira abaixo:

"O que que vai acontecer agora? Vai vim um inquérito de uma porrada de gente, caralho, eles são tão bunda mole que eles não (têm) o cara que vai distribuir os inquéritos para o delegado. Você tem lá cem, sei lá, 2.000 delegados da Polícia Federal. Você tem que escolher dez caras, né?, do Moreira, que interessa a ele vai pro João. Nem isso conseguiram terminar, eu, o Alexandre (de Moraes) e o Michel (Temer)".

Alexandre de Moraes, indicado ao STF para a vaga de Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em 19 de janeiro de 2017, seria o responsável por barrar possíveis processos relacionados à Operação Lava Jato que chegassem à Suprema Corte envolvendo políticos do eixo PMDB-PSDB.

Moraes foi conduzido ao STF de forma relâmpago, com direito a uma "sabatina informal" realizada em barco no Lago Paranoá, em Brasília, numa reunião envolvendo políticos e empresários.

Em seguida, Aécio discute com o executivo uma forma de receber uma propina de R$ 2 milhões. O dinheiro seria usado para pagar advogados para defender Aécio das acusações na própria Operação Lava Jato. Por conta dessas revelações, Aécio foi afastado do mandato de senador pelo STF e Andréa Neves, irmã do senador e recebedora da propina, foi presa nesta quinta (18) em Belo Horizonte.

Fonte: Brasil 247
Compartilhar no G+