Ceará: Preço médio da gasolina sobe e chega a R$ 3,739

Na contramão do Brasil, que pela quarta semana consecutiva tem queda no preço médio da gasolina, no Ceará, o consumidor final está pagando mais para abastecer. Levantamento semanal divulgado ontem pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) mostra que o preço médio da gasolina que chega aos postos teve a terceira semana consecutiva de alta e fechou abril em R$ 3,739. Em Fortaleza, o valor médio da gasolina subiu de R$ 3,543 para R$ 3,701, no comparativo com a semana anterior.

A pesquisa da ANP foi feita entre os dias 23 a 29 de abril em 205 postos do Estado. Neste período, o produto era encontrado com valores entre R$ 3,44 (preço mínimo) e R$ 4 (preço máximo). Na semana anterior, o preço médio era de R$ 3,627. E antes disso era de R$ 3,61.

205 postos de combustíveis foram consultados pela ANP para traçar preço médio no CE

No Nordeste, o preço constatado no fim de abril no Ceará só fica atrás dos praticados em Rio Grande do Norte (R$ 3,782) e em Alagoas (R$ 3,805). O menor valor médio é encontrado em Sergipe (R$ 3,521), segundo a ANP.

No Brasil, o valor médio do litro de gasolina caiu de R$ 3,629 para R$ 3,626, nas duas últimas semanas. No início do mês, o preço era de R$ 3,647. Neste caso, foram consultados 5.676 postos de combustíveis em todo o País.

O preço do etanol caiu pela 15ª semana seguida e atingiu R$ 2,615 no fim de abril. O diesel também vem na mesma tendência e caiu para R$ 3,012 na última semana, no comparativo com a semana anterior (R$ 3,015).

Flutuação dos preços

No último dia 20, a Petrobras reajustou em 4,3% o valor do diesel e em 2,2% o da gasolina para as refinarias, em função da elevação dos preços dos derivados de combustíveis no mercado internacional. Desde outubro, a estatal vem realizando reuniões mensais para definir estes valores. De lá para cá, já foram anunciados quatro cortes e dois aumentos.

Mas esta flutuação, de acordo com a própria estatal, não significa necessariamente uma mudança no preço nos postos, já que fica a cargo das distribuidoras repassarem ou não esta variação.

O preço do etanol (27% da gasolina comum deve etanol anidro), do álcool combustível (que varia de acordo com a safra da cana-de-açúcar) são variáveis que também influenciam na composição do preço da gasolina que chega ao consumidor.

No Ceará, reportagem do O POVO do dia 3 de abril deste ano, mostrou que a ineficiência logística em função da limitação da capacidade de armazenamento do Parque de Tancagem do Mucuripe chega a onerar em mais de R$ 0,10 cada litro de combustível que chega às distribuidoras.

Fonte: O Povo
Compartilhar no G+