"Em uma democracia, juiz não transmite vídeo a apoiadores", diz Zanin sobre Moro

Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente Lula, publicou um vídeo nas redes sociais, no domingo (7), apontando que ação recente do juiz Sergio Moro só reforça sua "parcialidade" em relação ao petista. Isso porque Moro usou sua página oficial nas redes sociais para pedir que manifestantes a favor da Lava Lato não compareçam à sede da Justiça Federal, em Curitiba, no dia 10, para evitar conflito com a militância a favor de Lula. Neste dia, o ex-presidente vai depor no caso triplex.

"O juiz Moro, que deveria ser imparcial, fala diretamente a seus apoiadores. Isso não é normal em um sistema democrático. Em uma democracia, políticos têm apoiadores e oponentes. Juízes não. Em uma democracia, juízes não são personalidade. Em uma democracia, juízes não transmitem videos para seus apoiadores. Numa democracia, juízes não procuram nem tentam influenciar a opinião pública. Em uma democracia, juízes obedecem a lei e seguem o Estado de Direito. Em uma democracia, juízes não estão acima da lei. Os atos do juiz Moro reforçam a minha visão de que os processos abertos contra Lula têm motivação política e, por isso, são ilegítimos. Os juízes devem parecer e ser imparciais", disse o advogado.

Zanin voltou a dizer que Lula não é dono do triplex, mas sim a OAS, que inclusive usou o imóvel para obter financiamento. Além isso, o defensor apontou que os últimos depoimentos da Lava Jato - de Leo Pinheiro e Renato Duque, principalmente - são uma "clara a tentativa de chamar pessoas presas e condenadas para falar algo contra Lula antes de quarta, objetivando ofuscar a real causa. O que chama atenção é que essas pessoas falaram sem compromisso com a verdade, de olho em uma delação."



Fonte: Jornal GGN
Compartilhar no G+