Moro nega pedido do MPF e da defesa de Lula para ouvir mais testemunhas

O juiz Sérgio Moro negou pedidos do Ministério Público Federal (MPF) e da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ouvir mais testemunhas na ação penal do triplex do Guarujá.

"Este Juízo já ouviu muitos depoimentos sobre o apartamento triplex e sobre a reforma dele, não sendo necessários novos a esse respeito", disse Moro em despacho publicado no sistema eletrônico da Justiça Federal nesta segunda-feira (15).

Ao negar o pedido da defesa de Lula, o juiz da Lava Jato afirmou que faltou identificação completa como nome e endereço das testemunhas. "Indefiro, portanto, o requerido por deficiência no requerimento e desnecessidade da prova".

Os advogados de Lula haviam pedido para o MPF esclarecer "o status das negociações de acordos de colaboração com José Adelmário Pinheiro Filho [Léo Pinheiro] e Agenor Franklin Magalhães Medeiros e os benefícios oferecidos", conforme consta no despacho do juiz federal. Moro consentiu a este pedido da defesa do ex-presidente: "Defiro apenas o requerido para que o MPF, nas alegações finais, informe, caso eventual acordo tenha sido celebrado e não esteja sob sigilo decretado por jurisdição de hierarquia superior, o seu teor".

Na mesma decisão, Sérgio Moro marcou os prazos para as alegações finais. A acusação terá até o dia 2 de junho, e a Petrobras tem até o dia 6 de junho para se manifestar. A defesa do ex-presidente poderá apresentar as conclusões até o dia 20 de junho.
Compartilhar no G+