No governo Alckmin, CPTM superfaturou R$ 538 milhões em contratos

De acordo com uma denúncia apresentada pelo promotor Marcelo Mendroni, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) superfaturou em R$ 538 milhões seis contratos de manutenção e reforma de trens, assinados entre 2012 e 2013, no governo de Geraldo Alckmin (PSDB), segundo denúncia apresentada pelo promotor Marcelo Mendroni.

O suposto superfaturamento ocorreu em contratos que somam cerca de R$ 1,76 bilhão, em valores atualizados.

O sobrepreço corresponde a 30,3% do montante global, segundo a denúncia apresentada à Justiça.

"A CPTM colocava um preço de referência muito exagerado para que as empresas pudessem oferecer propostas com valores bem baixos. Depois esses preços eram reajustados por percentuais altíssimos", diz Mendroni.

As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo.
Compartilhar no G+