Lula em Quixadá: um metalúrgico sem diploma é capaz de fazer o País crescer

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou, nessa terça-feira (29), parou em Quixadá e, nesta quarta-feira (30), estará na Região Metropolitana do Cariri. Lula, durante pronunciamento em Quixadá, cidade administrada pelo petista Ilário Marques, voltou a dizer que, se for candidato e se eleito, o povo será o grande vitorioso.

“Se eu for candidato, eles têm que saber que vocês vão ganhar as eleições outra vez. Se eles não sabem consertar o País que eles mesmo quebraram, eu vou dizer que um metalúrgico sem diploma universitário é capaz de fazer ele voltar a crescer”, disse Lula, na concentração realizada em Quixadá com centenas de populares. O palanque de Lula, articulado pelo prefeito Ilário Marques, contou com a presença do governador governador Camilo Santana, do deputado federal José Guimarães e do senador José Pimentel.

Lula disse ainda que o atual governo “utilizou R$ 14 bilhões para comprar deputados e não ser afastado” e que está “destruindo o Brasil” com as privatizações. “É aquele tipo de gente vagabunda que ao invés de trabalhar começa a vender as coisas por incompetência política” O ex-presidente também não poupou críticas ao atual governo e às políticas que levaram o País à atual situação. “Eu sei que eles estão destruindo o Brasil.

Estão vendendo a Petrobras, querem acabar com o Banco do Brasil, com a Caixa Econômica, estão vendendo a Eletrobrás, acabaram com a indústria naval. É aquele tipo de gente vagabunda que ao invés de trabalhar começa a vender as coisas por incompetência política”, afirmou. E lembrou que, mesmo com a queda na arrecadação e nos investimentos, o Governo “utilizou R$ 14 bilhões para comprar deputados e não ser afastado”.

Lula também enalteceu as conquistas da parte mais pobre da população – sobretudo a nordestina – durante os anos de governo do PT, como a transposição das águas do rio São Francisco, a redução da fome e do analfabetismo e a construção de universidades e escolas técnicas; e disse que sempre sonhou em tirar o Brasil da miséria. “O povo pobre nordestino é igual a qualquer outro, basta dar a oportunidade. (…) Para aquela grã-finagem que está no comando, pobre não existe, pobre atrapalha.

Para mim, pobre é a razão da construção desse País”. Com informações do site 247.

Fonte: Ceará Agora
Compartilhar no G+