PP e Cabo Sabino reagem a conteúdo de áudio em redes sociais

Conversa que circulou nas redes sociais indicaria o presidente estadual do PP, Antonio José, sendo cobrado sobre propina resultante de emenda. Partido diz que voz não é do dirigente e deputado quer episódio investigado

O diretório estadual do Partido Progressista (PP) publicou nota oficial negando que seja autêntico áudio de conversa sobre uma suposta propina envolvendo o presidente estadual da sigla, Antônio José Albuquerque - filho do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Zezinho Albuquerque. A voz que aparece no material divulgado, conforme a sigla, é de outra pessoa. O diálogo foi compartilhado nas redes sociais ao longo do fim de semana e faz menção ainda ao Cabo Sabino, deputado federal pelo PR, que também nega veracidade do fato em discussão.

A gravação começa com barulho de portas de carro batendo, até que dois homens conversam sobre uma suposta liberação de emendas parlamentares. O homem que “cobra” dinheiro ao segundo, chamando-o apenas como Antônio José, faz referência ao dinheiro da tal emenda. “Antônio José, a emenda tava empenhada, quem lhe trouxe os R$ 300 mil da emenda do Cabo Sabino, quem foi?”, afirma. “Você combinou 10% do deputado e 5% meu, eu quero meu dinheiro”, provoca o ‘cobrador’. Depois, os dois discutem e faz-se menção a uma agressão, com ameaça: “Esse empurrão vai sair tão caro pra ti, porque eu vou sair daqui, ‘tá’ tudo gravadinho, eu vou pra Procap”.

Em nota, o diretório estadual PP diz que “a voz presente no áudio é a de outra pessoa, sendo injusta qualquer divulgação envolvendo o presidente estadual do PP no conteúdo gravado”.

Sem medo

O deputado federal Cabo Sabino disse que teve acesso ao áudio desde maio e, por causa da menção de seu nome, solicitou ao Ministério Público Federal investigação rigorosa. “Acredito na lisura do Judiciário com o MPF e acredito que eles estão investigando isso. Fiz isso em 16 de maio, dei entrada no processo. o MP está fazendo seu trabalho de investigação e colocando isso a limpo para ver quem são os verdadeiros culpados. Só sei de uma coisa, hoje, o nome de qualquer político ao ser ventilado, começa a ser posto em dúvida, em xeque, principalmente quando se trata de um político da força policial. Até aqueles que estão com seus nomes citados aproveitam para compartilhar e criar, denegrir o nome de quem não está (envolvido)”, disse ao O POVO Online.

Sabino afirmou ainda estar tranquilo e esperar esclarecimentos após a denúncia. “Todas as minhas emendas destinadas aos municípios do Ceará, mais de 30 ou 40 municípios que fiz emendas, está tudo no Portal da Transparência. Foram emendas pagas pela União diretamente às Prefeituras, inclusive de oposição, com as quais não tenho contato. Eu fui votado em 184 municípios, quando indico é porque aquele município precisa”, completa ele.

Fonte: O Povo
Compartilhar no G+