Dançarinos ficam sem roupa em festa infantil de escola

De acordo com informações do Portal Gospel Prime, um evento em comemoração a "Semana das Crianças" em uma escola de Jundiaí contou com uma apresentação nada infantil: crianças de quatro anos de idade assistiram um espetáculo de dança onde haviam bailarinos que se despiam ao som de funk e outras músicas com grande apelo sensual. O acontecimento foi registrado na Escola Municipal de Ensino Básico, a EMEB de Luiz Bárbaro, em Jundiaí.

Várias pessoas que testemunharam o acontecimento denunciaram que os dançarinos que fizeram a performance estavam ali ao som do funk "Me Deu Onda", a coreografia da música que fala sobre o uso de drogas e palavras com duplo sentido, tem uma parte em que os homens abaixam suas calças e ficam apenas de cuecas. As fotos publicadas em redes sociais mostram as crianças acompanhando a apresentação com vários homens seminus em sua escola.

Entre os comentários, houve quem questionasse o motivo de uma apresentação desse tipo para crianças: "foi uma apresentação da profissão de gogo boy?”, questionou um internauta. "Esse país está mesmo perdido, depois daquela pouca vea vergonha com a criança no museu, tão acontecendo essas baixarias até em escola? Só Deus na causa", escreveu outra pessoa, indignada com o acontecimento.

Como era esperado, a sociedade e defensores da família, assim como os evangélicos e católicos de Jundiaí repercutiram o acontecimento. O site Reacionária informa que a cidade de Jundiaí está sendo alvo de várias ações de promoção da agenda do grupo gay, a LGBT. Até uma peça de teatro gay para crianças estaria sendo promovida.

Foi lembrado em redes sociais que o prefeito Luiz Fernando Machado não se pronunciou sobre o acontecimento na escola e aquela não era a primeira vez que aquilo estava acontecendo. Houveram ainda internautas que comentaram que o prefeito não teria controle sobre a educação da cidade ou estava aprovando o que estava acontecendo ali.

Os dançarinos fazem parte de uma escola particular de dança, eles participam de eventos na cidade e não sabiam que o público seria formado em sua grande maioria de menores de idade. De acordo com a Prefeitura de Jundiaí, a unidade de educação informa que a atividade promovida na escola "foi precedida pela aprovação do conselho de pais da escola".

O pronunciamento ainda diz que "o trabalho apresentado na ocasião tinha classificação indicativa livre e o seu conteúdo não era impróprio para crianças".

Fonte: Folhamax
Compartilhar no G+