Líder de intenção de votos, Lula também deverá fazer campanha em São Paulo

Se o pensamento do brasileiro se mantiver conforme constatou a pesquisa do Datafolha, as chances do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltar ao antigo cargo na República são grandes. 

Comparado aos candidatos que ficaram em segundo lugar, Marina Silva (REDE) e Jair Bolsonaro (PEN), empatados com 14% e 17% das intenções de voto, respectivamente, Lula tem vantagem expressiva, com 35% dos eleitores optando por ele, em todo os cenários propostos pela pesquisa.

Focado, ele deverá investir em visitas a São Paulo, para fortalecer ainda mais sua tentativa de conquistar novamente o cargo de presidente. Até então, o petista estava organizado caravanas para Minas Gerais e as regiões Sul, Norte e Centro-Oeste do Brasil.

Em entrevista à rádio Trianon na terça-feira (26), o ex-presidente havia dito que “é preciso fazer uma visita rápida [periferia e Grande SP] porque é um público que já foi muito petista e já esteve muito próximo de nós. Antes de entrar para o interior, quero dar uma conversada com o nosso povo da periferia de São Paulo”, disse ele.

Os encontros deverão acontecer em Diadema, Guarulhos, Mauá, Ribeirão Pires, Santo André, São Caetano do Sul e Osasco, o que o petista chamou de “cinturão vermelho”, e terá a participação de Luiz Marinho e outros deputados estaduais e federais, e vereadores.

Guarulhos deverá ser o primeiro município a ser visitado, na segunda quinzena de outubro. As excursões para Minas Gerais estão marcadas para o dia 23 do mesmo mês. Campinas também pode ser uma das cidades por onde o ex-presidente passe, já que a região tem uma forte presença sindical por conta das empresas metalúrgicas.

O cenário político na região não está nada favorável para o PT. Nas últimas eleições, o partido perdeu seis das sete prefeituras que comandava até 2016. Se considerar todo o Estado de São Paulo, a legenda saiu de 64 prefeituras no ano passado.

Lava Jato não abalou eleitores

O levantamento foi realizado na quarta (27) e na quinta (28), e mostrou que mesmo depois de ter sido condenado em um dos processos que está envolvido na Justiça – o que pode impedi-lo de concorrer em 2018 caso seja confirmada a decisão em segunda instância -, o petista ainda teve sua preferência aumentada de 15% para 18% desde junho, conforme divulgou o Datafolha.

Por enquanto, Lula ainda não está barrado das eleições, seguindo os princípios da Lei da Ficha Limpa, que impede apenas a candidatura de políticos condenados por uma decisão colegiada, ou seja, por mais deu um julgador. O ex-presidente Lula foi condenado em primeira instância apenas por Moro. Logo, ainda pode ser eleito em 2018.

Fonte: IG último Segundo
Compartilhar no G+