Ipu (CE): Estudo revela que número de fumantes no município é de 35,65% da população

Em contra partida dos fumantes no Brasil que representam menos de 15% da população, no município de Ipu, no estado do Ceará, na Serra da Ibiapaba, um estudo revelou que a população de fumante no município represente 35,65% da população.

O levantamento foi feito por alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Auton Aragão, a través de estudo orientado pelo professor Clerton Farias Damasceno (foto abaixo) com alunos da turma do 2º ano “B”, em parceria com a Escola Estadual de Ensino Médio Antonio Pereira de Farias.


Os alunos foram orientados e encaminhadas para realizar uma pesquisa domiciliar nas áreas urbana e rural de Ipu, no período de 06 a 16 de novembro desse ano, onde a população alvo foram pessoas de 15 anos ou mais. Os dados foram coletados através de questionário com perguntas fechadas relacionadas ao uso do tabaco em mais de 20 comunidades rurais, todos os distritos e na sede do município, onde foram entrevistadas 533 pessoas, o que corresponde a aproximadamente 1,82% da população maior ou igual a 15 anos.

Resultados

De acordo com o estudo em relação aos dados nacionais, os índices de usuários de cigarro foram muito elevados. Os resultados mostram que 35,65% (10,4 mil pessoas) são fumantes atuais, onde 18,2% (5,3 mil pessoas) são fumantes diários e17,45% (5,1 mil pessoas), são fumantes ocasionais.

Do total de entrevistados fumantes atuais, 40,77% são homens e 29,67% são mulheres, 31,67% vivem em área urbana e 38,91% vivem na área rural. Entre os fumantes diário, destacam-se, com maior incidência, o grupo de 45 a 64 anos, com 30,20% e com menor incidência o grupo de 15 a 24 anos, com 10%.

Já entre os fumantes ocasionais que são 17,45% há uma inversão pois o grupo de 45 a 64 anos ou mais passa a ter menor incidência com 9,38% e as pessoas de 15 a 24 anos são 22,6%. Isso mostra que há uma necessidade de se desenvolver ações de controle e revenção principalmente neste grupo para que não se torne fumante diário.

Alerta

O estado faz uma alerta as autoridades de saúde pública do município, onde a preocupação maior deve estar voltada para os jovens que, na condição de usuários eventuais, correm grandes riscos de se tornarem viciados, principalmente com os grandes investimentos dos fabricantes nos últimos anos, camuflando o efeito aversivo da nicotina e do sabor desagradável do tabaco.

"Diante de tal situação, Secretarias de Saúde e Educação do Município, Igrejas e a quem mais interessar, devem formar parcerias com a finalidade de implementarem ações que conscientizem sensibilizem e desestimulem o consumo do cigarro." finaliza o documento divulgado para a imprensa. (clique aqui para ter acesso)

Fonte: Com informações: E.E.E.M. Auton Aragão Via Ipu Notícias
Compartilhar no G+