Oito cidades do Ceará têm 'alto risco' de infestação de dengue

Oito municípios cearenses têm alto risco de infestação da dengue, conforme dados do Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), apresentado nesta terça-feira (28) pelo Ministério da Saúde. O risco de infestação da doença é considerado alto nas cidades onde 4% ou mais das residências têm focos do mosquito Aedes aegypti.

Segundo o estudo, Araripe, Canindé, Capistrano, Chorozinho, Itapiúna, Itatira, Quixadá e São Luís do Curu têm pelo menos 4% das casas com focos do mosquito, o que pode agravar o riscos de disseminação vetor.

Outros 49 aparecem em alerta e 124 estão em situação satisfatória. Fortaleza, a capital do estado, está em situação satisfatória.

O estudo mostra também que a incidência de dengue no Ceará em 2017 é de 457,7 casos por grupo de 100 mil habitantes, a segunda maior do país, perdendo apenas para Goiás, que registra incidência de 906,3 casos da doença por 100 mil habitantes.

Chikungunya e zika

Em todo o país, indica 357 municípios brasileiros em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya. Isso significa que mais de 9% das casas visitadas nestas cidades continham larvas do mosquito. No total, 3.946 cidades de todo o país fizeram o levantamento.

Além das cidades em situação de risco, o LIRAa identificou 1.139 municípios em alerta, com índice de infestação de mosquitos nos imóveis entre 1% a 3,9% e 2.450 municípios com índices satisfatórios, com menos de 1% das residências com larvas do mosquito em recipientes com água parada.

Fonte: G1
Compartilhar no G+